terça-feira, 26 de março de 2013

A Medida II


  “Fale com um homem a respeito dele próprio, e ele irá ouvi-lo durante horas.” [Disraeli]
%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%
  Este pensamento tem muito a ver com o texto de ontem sobre ser a medida.
  Basicamente todos nós passamos por essa fase de se considerar a medida de tudo e a grande maioria nunca sai dela.
  Como a lógica muda meus procedimentos eu acreditava que isto servia para todos, afinal eu já me vi como medida, mas já comentei também sobre isto, as outras pessoas não sentem tanta necessidade de resultados então a lógica não é fundamental.
  Vejam o caso das pessoas anti capitalistas e pró comunismo a despeito de todo resultado de um e a falta de eficiência do outro seguem firmes em suas convicções, quem pode dizer que um Chico Buarque não tem educação ou cultura?

  Oras, se eu sou a medida de todas as coisas qual assunto mais importante que falar de eu mesmo?

  Meu dia a dia é rotineiro, não acontece nada de muito interessante [não que eu sinta falta, gosto da rotina] não vejo lógica ou graça em torrar a paciência das pessoas falando tudo que fiz durante o dia, não tenho assunto, pois não tenho esta necessidade do “desabafo”.
  Mas como sei que as pessoas não gostam do silêncio e na sociedade não posso ser totalmente eu mesmo, tenho que usar a mascara da sociabilidade, faço a pergunta chave:

“Como foi seu dia?”

  Principalmente com relação as mulheres tenho que preparar meus ouvidos para as coisas mais desinteressantes do mundo, como seu filho estar com tosse, da cólica da semana passada, da fechada do ônibus…
  E aquelas pessoas que andam com foto dos filhos na carteira e fazem questão de mostrar seus pimpolhos, ou as fotos de sua viagem a algum lugar qualquer.
  Se eu já tenho alguma intimidade com a pessoa e ela vem me mostrar fotos já vou logo disparando:

  “Se não tem mulher pelada nem vem!”
[Calma feministas! É só uma piada.]

  Na maioria das vezes tenho que fazer aquela cara de paisagem encantado com a foto do bolo de aniversario…ah! que lindo.
  Como a pessoa se considera a medida de todas as coisas então tudo que é legal para ela tem que ser legal para os outros, se alguém faz algo que ela não aprova este alguém esta doente, precisa de algum tratamento, se procurarmos na infância desse alguém encontraremos algo que o fez ficar “fora da medida”, fora do padrão estabelecido pela pessoa.

  Observo que a maioria esmagadora das pessoas se acham o centro do Universo do primeiro até o ultimo dia de vida, sem contar que também depois da vida sentarão no lado direito de Deus todo poderoso.
  
   Sei lá! Não me acho mais importante que ninguém.
   Ao matematicamente me dividir por quase 7 Bilhões de pessoas é difícil me sentir especial, a medida do mundo.
  Conviver com a quase insignificância deve ser difícil para a maioria das pessoas, entendo que elas se vistam de glórias…uma frase me veio a mente agora.
 “O rei esta nu!”
  Eu digo você esta nu.
    Mas acho que quem diz isso é tido como louco e um louco nunca é uma boa medida, diz só tolices, melhor ignora-lo e se vestir de glórias…


anterior                       <>                                próximo



Postar um comentário