terça-feira, 30 de abril de 2013

Doce e Puro Espirito

  “Muitos pensadores fundamentaram suas ideologias baseados na “sujeira” do sexo e do dinheiro.
   A humanidade foi simpática a suas idéias, logo muito do comportamento humano é fundamentado na sujeira do sexo e do dinheiro.
  Consideramos dinheiro e sexo necessidades do corpo a contaminar o “doce e puro espirito”


  Sócrates era um desses pensadores que atribuía todo “pecado” ao corpo e toda pureza ao espirito, foi flutuando por essas meditações que começamos a nos separar no Abismo.
  Me descobri discordando do grande pensador.

  Não faz sentido.
  Eu William sou um ser puro e bom criado por Deus e este me sopra em um corpo cheio de impurezas e maldade!

  Se o bom Deus me quer puro e bom e eu já era assim que lógica tem em me “sujar” com um corpo biológico?

  Alguns já correm a dizer que é para eu me tornar uma pessoa melhor, mas o que pode ser melhor que ser um espirito puro e bom!?
  Perceberam a incoerência?
  Sexo é sujo, dinheiro é sujo, porque são necessidades do corpo e o corpo é sujo.
  Porque o corpo é sujo ou porque Deus fez o corpo sujo!?

  Certo dia, depois de ler Sócrates com esses pensamentos incômodos sobre o corpo estava eu lá no escuro do meu quarto em uma meditação com choro e ranger de dentes [eu era adolescente e a dispensa de casa estava bem vazia] e percebi que o meu corpo se contentaria com um mísero salário mínimo que pudesse colocar mais comida naquela casa.  
   Já meu espirito sonhava com um milhão, casa de frente, moto, carro, boas roupas…

  Nosso corpo precisa de muito pouco para continuar funcionando, água, comida oxigênio e todos que tem essas coisas deveriam estar satisfeitos, esta é a matemática do pensamento é a equação da vida que se observa da formiga ao leão.

  Se minha insatisfação não vem do corpo, se meu “vazio” não vem do corpo então de onde vem?

Vem do Espirito.

  Todo bem e todo mal foi soprado em nós desde a criação, se não está satisfeito com isso reclame para Deus ou amaldiçoe a Natureza, mas cresça!
  Não culpe o corpo por seu vícios, por seus excessos.

  Meu grande amigo Sócrates, companheiro de grandes baladas, meu corpo é puro e bom, meu espirito nem tanto…sinto muito!

  Sei o que isso implica.
  Aquele que nos Controla não é como diz a lenda.
  Não é um ser onipotente, onipresente e onisciente, puro e bom, uma vez que somos a sua semelhança.
  Sem contar que se o corpo biológico é também invenção Daquele que nos Controla então mesmo que o amigo Sócrates me provasse que todo mal vem do corpo ainda assim colocaria a bondade e perfeição divina em xeque.

  Não culpem meu corpo, ele apenas esta obedecendo meus pensamentos, está digitando os teclados, se algo em mim é imundo e eu sou essencialmente espírito ... tirem suas conclusões.

  Ao final dessa meditação não tinha forças para levantar da cama, até hoje me traz lágrimas, a solidão sólida se desfazendo em choro e ranger de dentes, nem sempre é assim, mas dessa vez foi.
  Era como se observasse meu amigo Sócrates me deixando só, sumindo no horizonte de eventos.
  Nós ainda nos encontramos, mas nunca mais foi a mesma coisa...azar o meu.








Anterior          COMENTAR        Próximo