terça-feira, 21 de maio de 2013

Religião e Civilização

    “O primeiro requisito da felicidade dos povos é a abolição da religião.”
 [Karl Marx]



  O Comunismo cansativamente prega sempre esta revolução de acabar com tudo que esta aí. Já
desafiei há muitos me mostrarem como o mundo seria bem melhor sem religião e até agora não encontrei exposições lógicas.
  Até entendo Marx ou Niet em seus questionamentos, realmente a “verdade do momento” que eles viviam apontava que a Religião era um grande atraso em todos os sentidos.

  Mas qual é nossa verdade do momento com relação a isto?

  Ora, tivemos oportunidade de OBSERVAR lideres totalmente empenhados em provar as teses de Niet e Marx e o que ocorreu? 
  Citem um império Ateu que no geral proporcionou melhor qualidade de vida a seu povo que um império religioso.
  O quê? Você é mais um dos que acham que a China é o supra sumo da atualidade então vai gostar de ler isto:


  “A Constituição de 1978 restaurou algumas liberdades religiosas, por isso, atualmente, existem grupos budistas e cristãos ativos na China. Mas, estes grupos são ainda fortemente supervisionados pelo Estado chinês, mais concretamente pelas Associações Patrióticas. É ilegal ser membro de Igrejas ou de grupos religiosos que não são controlados por estas Associações Patrióticas.”

 [Wikipédia]

  A Democracia não avança muito na China, mas a religião desafia de forma incontrolável o poder do Estado algo que Stalin já havia experimentado.
  É senhoras e senhores, a matemática é implacável, se o ateísmo é um pensamento superior, mais eficiente, já teve tempo de sobra para mostrar para que veio, até agora só nos trouxe mais problemas que soluções.
  Então pense dez vezes antes de fazer parte do coro de Marx e Niet que diz que a religião é o grande mal da civilização.
  A Religião e o Capitalismo são BESTAS/FERAS que com INTELIGÊNCIA podem ser muito eficientes, como já demonstraram em inúmeros episódios da historia.

  O Comunismo é só besta, nunca se mostrou eficiente, quando tentou ser fera devorou vidas das formas mais grotesca.

   Niet e Marx, suas idéias não correspondem aos fatos, o tempo não para…






     “A alínea 10 do artigo 58 do Código Penal Soviético estipulava que "toda a utilização dos preconceitos religiosos das massas, que vise a enfraquecer o Estado, era passível de uma pena de três anos de detenção até a pena de morte".
    Em 26 de agosto de 1929, o governo instituiu a semana do trabalho contínuo de cinco dias (cinco dias de trabalho, um de repouso), que eliminava o domingo como dia de repouso comum.  
   Essa medida deveria facilitar a "luta" pela erradicação da religião. 

  Em outubro de 1929 foi ordenada a apreensão dos sinos das igrejas com a justificativa: 
 "O som dos sinos infringe o direito ao repouso das grandes massas da cidade e do campo".
 [Roberto Menezes]





anterior                       <>                                próximo