terça-feira, 25 de junho de 2013

Desencanto

  “Eu, pelo meu lado, calculo que - como todos os sortudos, e que como todos os budas, ele [Cristo] deve ter “pedido permissão” por muito tempo, para poder enlouquecer.
Para ficar pleno de êxtase divino e ser feliz com isso.” [Nihil]
%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%
  Bom, não tenho memória de nenhuma vida anterior e minha especialidade não são os escolhidos uma vez que claramente não sou um deles.
  Falando como criatura eu diria que esta teoria de escolhermos nossas provações não tem muita lógica.
  Vamos supor que eu seja sovina e passe minha existência toda assim. 
  Quando eu desencarno como que por “encanto” entendo que ser pão duro é uma grande falha moral e escolho provações para resgatar minhas dividas da existência anterior, quem sabe me torne um filantropo.

  Se o “encanto” só ocorre quando não estou na carne então para que eu encarno?

  Se o encanto pode ocorrer enquanto encarnado então porque os “Espíritos Superiores” esperaram meu desencarne para despertar minha consciência me deixando acumular mais dividas, prejudicando outras almas?
ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Se sou reprovado ao fazer o exame para motorista é a autoridade de Transito que vai determinar minha próxima avaliação, eu até tenho alguma escolha como procurar outra auto-escola, mas minha escolha ou vontade são enormemente limitadas.
  Então esta historia de que eu escolhi ser pobre ou ter paralisia infantil ou até ser homossexual é uma teoria que precisa de muita Fé e Fé é coisa que não tenho.
  Já fica um pensamento melhor estruturado se alguma autoridade espiritual determinar em que condições irei nascer independente de minha vontade.
  Vamos a mais uma suposição: Fui um tirano em uma existência passada, só a minha opinião era importante, ora, se eu morri com este pensamento é com ele que eu acordaria em outro mundo. 
  Então uma autoridade determina que eu nasça sem a possibilidade de externar minhas opiniões para que “talvez” eu perceba a importância da liberdade de expressão.
  Mas vamos parar por aqui, a partir deste ponto entramos em uma lógica muito complexa que poucos entenderiam. 

  Este negocio de escolhermos provações é só mais uma idéia de cérebros doentes para justificar os sofrimentos, mais um culto ao sofrimento.

  Ainda bem que nossos cientistas não rezam por estas doutrinas. Fiquei sabendo que hoje em dia uma mulher com AIDS pode ter filhos saudáveis utilizando o tratamento correto.   
  Então o espírito pode ter escolhido nascer com AIDS, mas nós não deixamos…HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!
  Se tenho que acreditar em alguma coisa, prefiro acreditar que “Espíritos Superiores” nos ajudariam na cura e não determinando doenças.
  Tem dias que me sinto tão covarde! Antigamente tinha só medo de ir para o inferno, agora até o “céu” me assusta.


anterior                       <>                                próximo

Postar um comentário