sábado, 27 de setembro de 2014

Conspiração do Petróleo

   “Interessa ao Capitalismo nos manter dependentes do petróleo.”  [Comentarista no G+]
%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%
   Poucos sabem, mas os carros por volta de 1900 eram elétricos, houve uma tentativa de privilegiar essa tecnologia, mas usar petróleo se mostrou muito mais EFICIENTE.


  Vejam um FATO:
  Nós estamos por concluir a Belo Monte, mas não haverá uma grande sobra de energia.
  Por pressão dos “ambientalistas” o reservatório da Hidroelétrica ficou pequeno, qualquer seca mais prolongada pode paralisar a usina.
  Lula, Dilma e Marina optaram por isso, eles eram Governo quando essa decisão foi tomada.
  Espero que não ocorra grandes estiagens.
  No Palácio do Planalto tem geradores, os ferrados seremos nós os “destruidores da natureza”.

  Imagine se substituíssemos toda nossa frota de veículos por carros elétricos!
  De onde viria tanta energia!?

  Dizem que a indústria petrolífera impede que qualquer substituto ao petróleo seja desenvolvido, “uma conspiração dos poderosos para subjugar o povo...”
  E outros setores industriais importantes compactuam com essa conspiração em consideração a indústria petrolífera.
  Lembre-se que a parte mais desenvolvida da humanidade é Capitalista.
  Uma empresa como a Siemens descobre uma tecnologia inovadora e super eficiente e não coloca em pratica em consideração a Arábia Saudita ou a Petrobrás!?
  A tela sensível ao toque não teve consideração pela indústria dos teclados?
  O MP3 não teve consideração pela indústria do CD?

  Para bom entendedor “conspiração do petróleo” é lenda...        Clique aqui

_______________________

  Ecologistas tem um estranho entendimento das palavras "sustentável" e "auto sustentável".

  Esses termos podem ser aplicados em várias situações, mas NÃO nas que os ecologistas querem que apliquemos.
  Usarei exemplos bem infantis, meu principal interesse nesse tipo de texto é a geração das minhas filhas que ainda não esta tomada por fanatismo ideológico.
  Vamos passear pelo labirinto das letras, meditar sobre sustentável e auto sustentável.
 
 Situação 1 -  Tenho boa saúde, me sustento de pé embora prefira ficar sentado ou deitado...
  Logo, posso dizer que na situação de levantar e caminhar eu me sustento, sou auto sustentável, não preciso da ajuda de ninguém.

 Situação 2 -  Imagine que eu perca minha capacidade de andar, mas meus braços continuem saudáveis.
  Em uma cadeira de rodas minha qualidade de vida cairá bastante [não sejamos hipócritas], mas em relação a me locomover eu continuarei me sustentando, minha casa e carro passarão por algumas adaptações, mas na maior parte do tempo posso viver sem depender da ajuda de outros.

 Situação 3 -  É a mais triste, tenho paralisia grave e perco a coordenação dos membros.
  Para me locomover eu preciso da ajuda de outras pessoas, não sou capaz de me auto sustentar embora a situação seja sustentável.

  Essa parte você não entendeu?
  Medite comigo porque é muito importante que você entenda... mesmo que não concorde.
ºººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Temos em nossa sociedade muitas pessoas com doenças degenerativas graves, há inúmeras crianças que já nascem
com sequelas.
  Grande parte delas vivem por muitos anos, logo a situação é sustentável senão elas não sobreviveriam...essa lógica entra em sua mente?
  O tratamento delas é caro, elas nos custam muito dinheiro dos impostos, não são produtivas e raramente serão.
  Mais que isso, algum familiar vive para cuidar dessa pessoa...se tornando improdutivo também.
  Pense em uma mãe de seus 25 anos com ótima saúde, inteligente e com boa capacidade de produção.
  Se ela tem uma criança doente, passa a viver em função dessa situação, além de não produzir [trabalhar] essa mãe recebe pensão da Sociedade [por favor, não estou questionando essa necessidade].

  Qualquer um que não seja alienado assiste nos jornais a extensa gama de exames e tratamentos que pessoas com distrofias graves precisam para continuar com qualidade mínima de vida.
  Eu trabalho na área hospitalar e posso lhe garantir que há mães que praticamente moram no hospital.
  Tem pessoas que não saem da maca e são levadas ao hospital toda semana, tem que ser assim ou definhariam desumanamente em casa, mesmo com seu familiar dando o melhor de si.
  Bem, esse é o tipo de situação a qual temos que coletivamente sustentar, não vou me alongar mais nela, fica para um outro texto.
ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Você percebe que não é nada sutil a diferença entre sustentável e auto sustentável?


  Vamos aplicar isso em economia puxando para a atividade profissional.
  As atividades profissionais mudam de acordo com a cultura e tecnologia.
  Uma profissão auto sustentável hoje pode ser insustentável no futuro.
  Se a atividade é auto sustentável não tem problema, se não é alguma atividade criminosa só vem a somar para melhora de nossa sociedade.
  Você produz ou vende sorvetes, há pessoas que gostam de sorvetes e todos ganham.
  Você pinta paredes e há pessoas precisando de uma  “pintada”...todos ganham.

   Se a atividade profissional é insustentável...desaparece.
  O que não tem remédio, remediado esta.
  Sei que muita gente sustentou a família sendo cobrador de ônibus, mas com nossa moderna tecnologia as maquinas conseguem ser mais eficientes para transações financeiras.
  Com nossa cultura de leniência com criminosos é interessante tirar o dinheiro em espécie dos coletivos.

  Fica claro que a atividade profissional de cobrador de ônibus não é mais auto sustentável.

  No entanto ela é Sustentável se você decidir que devemos manter esses profissionais com nosso dinheiro de impostos.
  Principalmente nas grandes cidades todo transporte público recebe forte subsidio, quer dizer, se o dinheiro dos impostos não completar o déficit financeiro do setor ele para.

  Note que nosso problema social aparece no sustentável.
 
  Queremos manter "romanticamente" uma atividade econômica e o conjunto da Sociedade acaba inevitavelmente pagando a conta.
ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  A questão dos seringueiros é mais um caso exemplar, a maneira como eles extraem a borracha não é economicamente viável.
  Se queremos sustentar essa atividade econômica isso só pode ser conseguido desviando dinheiro dos impostos ou fechando nosso mercado para a borracha sintética o que seria uma grande catástrofe, pagaríamos bem caro por produtos feitos de borracha.
  Produzir borracha sintética é muito mais eficiente por isso a atividade dos seringueiros entrou em crise.
  Em economia o romantismo é algo que devemos evitar, o sorriso de alguns custa a lagrima de muitos outros.
  Os ecologistas deveriam fazer o obvio, pesquisar nessas regiões atividades realmente auto sustentáveis.
  Uma fábrica de borracha sintética, liberação de cassinos, obras que atraiam o turismo, plantar maconha para uso medicinal...
  É eu extrapolei justamente para provocar sua mente.
  A Embrapa poderia fazer experiências na região amazônica de plantas com bom mercado consumidor.
  Nossa região Centro Oeste só se tornou produtiva com avanços científicos.
  Não sou nenhum especialista no assunto, mas por tudo que já li a atividade de seringueiro na Amazônia é insustentável.
  Foi um grande negócio há 40 anos atrás.
  No entanto se você acha justo desviarmos dinheiro de impostos para sustentar indivíduos tirando leite do pau...prefiro não concluir.




Henry Ford tentou produzir borracha no Brasil:

  “Um homem com mente genial só é útil enquanto tem certo domínio sobre sua loucura, depois é pouco produtivo dependendo do caso se torna até muito perigoso.

  Essa ode à loucura acontece porque só olhamos para os casos de sucesso "a loucura que deu certo" enquanto ignoramos os grandes fracassos e tragédias que diga-se de passagem é o que mais acontece.
  Henry Ford perdeu muito dinheiro na "Fordlândia ". 


Anterior          <>        Próximo
Postar um comentário