quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Presos Trabalhando

  Todos queremos alguma coisa.
  O querer é livre, acontecer o que queremos nem sempre é fácil ou possível.

  Você quer o amor de uma garota e faz tudo para conquista-la, pode até conseguir, mas todos sabemos que o amor é um sentimento difícil de prever ou controlar.
  Amar você não depende só da vontade da garota, as vezes esse sentimento simplesmente não rola.

  Em filosofia é bem assim.
  Você quer uma coisa e ela pode até ser nobre, mas essa nobreza não obriga a vida a fazer que aconteça.
 É nobre querer que todos os presos trabalhem? Sim é.
 Vamos meditar sobre a possibilidade disso acontecer.

  Em um mundo ideal não haveria crimes, quem não quer um mundo assim?

  Como não conseguimos um mundo sem crimes então desenvolvemos o sistema judiciário e as prisões.

  “O preso deve trabalhar.”

  Repetem isso a exaustão nos debates como se fosse a coisa mais simples do mundo faltando só vontade ou inteligência política.
  Já tentei montar mentalmente uma situação em que a maioria dos presos trabalhassem, mas sempre tem detalhes que inviabilizam o processo.
  O primeiro detalhe é “se” o preso quer trabalhar.

   Se presos gostassem de trabalhar não entrariam para o mundo do crime.

  A princípio se um ladrão gostasse de trabalhar ele trabalharia, se optou por roubar...isso diz muito sobre o caráter dele.
  E se ele for assassino?
  É, um assassino pode ser trabalhador uma coisa não tem nada a ver com a outra.
  Tirando aqueles matadores de aluguel cujo trabalho é matar, os assassinos mais comuns geralmente tem emprego.

  De qualquer forma para o preso trabalhar você precisa oferecer um benefício a ele.

  Redução de pena?
  Sei lá eu não gosto, o indivíduo matou alguém e pegou 30 anos.
  Não entendo porque ele trabalhar minimiza esse grave delito.
  Se eu trabalhar 20 anos adquiro o direito de matar alguém!?
  A pena dada pelo juiz passa a ser apenas uma sugestão de pena que pode ser reduzida de várias formas.

  Com nossa polícia e justiça pouco eficientes muitos crimes nem ao menos chegam a ir a julgamento e os que conseguimos apurar enchemos de indulgências como inúmeras saidinhas e reduções de pena sem contar prisão domiciliar e prisão albergue.
  Se um indivíduo fizer algum trabalho terá sua pena ainda mais reduzida!!!

  Se não dermos a redução de pena como benefício temos outras alternativas.
  Pagar salários.
  Ou punir mais gravemente caso ele se recuse a trabalhar.

  O indivíduo já está preso, não consigo pensar em nenhuma outra punição que não configure tortura.
  Negar-lhe comida?
  Manter na solitária?
  Chicotear?

  Se obrigarmos o preso a trabalhar sem oferecer nenhum benefício isso configuraria ESCRAVIDÃO.
  Me desculpem, mas não tenho nenhum argumento para defender a escravidão mesmo para criminosos.

  Sei, sei quem é mais habilidoso filosoficamente deve ter chegado ao mesmo argumento que cheguei.

  SE A ALTERNATIVA DO PRESO FOR A PENA DE MORTE ELE VAI PREFERIR A ESCRAVIDÃO.

   Não achei essa situação satisfatória.
  Se meditarmos com mais profundidade veremos que a opção pela escravidão é vantajosa apenas para o preso e muito prejudicial a sociedade.
  Um escravo sempre pode fugir.
  Quero dizer que o condenado que “merecer” prisão perpetua, vai sempre tentar fugir nos obrigando a fazer prisões mais seguras e mais caras.
  Quando você coloca um preso para trabalhar tem que lhe fornecer ferramentas, tira-lo da cela, é evidente que isso cria muitas oportunidades de rebelião e fuga.
  Você prender um leão em jaula é uma coisa, passear com ele em uma coleira é outra...
ºººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  E se pagarmos salários aos presos.
  Se os salários forem iguais ou maiores que o do homem livre, não sei que vantagem a sociedade leva, que tipo de empresário preferiria empregar presos?

  Teríamos então que pagar salários baixos.
  Transformar nossos presídio em empresas cria uma competição desleal.
  Como competir com uma empresa que usa trabalho escravo ou paga “legalmente” salários bem abaixo do mercado?

  De repente você vai tirar postos de trabalho do cidadão de bem em favor de quem tem graves problemas com a lei!!!

  Calma, esse texto não está propondo acabar com programas onde presos trabalhem.
  Claro que o trabalho deve fazer parte da vida do preso sempre que possível.
  Aqui em Campinas presos varrem ruas e capinam canteiros, fazem um bom trabalho.

  Esse texto é para mostrar que colocar TODOS os presos para trabalhar não é tão fácil quanto parece em teoria.
  Quem defende essa bandeira fica com uma RAIVA improdutiva das autoridades.

  “O Político, o juiz, o delegado...não fazem porque não querem, esses cornos.”
 
 Todos queremos alguma coisa.

  O querer é livre, acontecer o que queremos nem sempre é fácil ou possível. [William Robson]


Anterior          <>        Próximo

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Dois Gumes

 Já passei muitas coisas, mas é evidente que não passei todas as coisas.
  E como escrevo sobre coisas que não passei?
  A arte me traz as sensações.
  Uma pintura, livro, filme, música.

  Acredito que a Filosofia não tem como ser boa se você não tiver uma enorme capacidade de se colocar no lugar dos outros.
  Somos seres muito emocionais não adianta ter expectativas lógicas sobre as ações das pessoas se a maioria delas agem pela emoção.

  Leia a letra dessa música com atenção:

  Saindo de Mim (Simone)

Você foi saindo de mim
Com palavras tão leves
De uma forma tão branda
De quem partiu alegre

  [Quando o relacionamento não está satisfatório não é fácil a pessoa terminar com a gente, mas quando ela finalmente cria coragem experimenta uma certa alegria de alivio.]

Você foi saindo de mim
Com sorriso impune
Como se toda faca
Não tivesse dois gumes

  [Uma faca de dois gumes é uma faca que tem corte dos dois lados, se quem nos deixa sai alegre, nós que ficamos experimentamos uma enorme tristeza]

Você foi saindo de mim
Devagar e pra sempre
De uma forma sincera
Definitivamente

  [Por vezes é apenas uma crise no relacionamento, mas na letra o amor de uma das partes não existe mais, é definitivo, é o fim para sempre]

Você foi saindo de mim
Por todos os meus poros
E ainda está saindo

Nas vezes em que choro
Nas vezes em que choro   Clique Aqui

  [Praticamente dispensa comentário, ainda choraremos muito o fim do relacionamento]
________________________
  Essa música foi composta por um homem, Ivan Lins.
  Mas cantada por uma mulher fica ainda mais linda, uma obra de arte muito interessante.
  Ela remete ao sexo, como se o pênis fosse uma faca de dois gumes, capaz de dar muito prazer e causar muita apreensão.
  No fim do ato o homem vai saindo da mulher, se tudo foi como o esperado, ele parte cansado mais alegre e a mulher experimenta o prazer por toda sua pele, o prazer explode por todos os seus poros.
  A beleza da letra está nessa associação de ato sexual e fim de um relacionamento.

  Por favor, não sei se foi exatamente isso que Ivan quis dizer, estou falando da MINHA visão dessa arte.

  Eu nunca passei por isso, levar fora depois de um longo relacionamento.
  Claro que já ouvi não de garotas, mas ainda não tinha grande envolvimento emocional era só uma tentativa.
  Não seria exagero dizer que minha esposa foi minha primeira namorada.
  Eu tinha “amizades coloridas” nunca cheguei a levar um fora, minha mente detectando incompatibilidade pulava fora do barco antes do naufrágio.
  Tem pessoas que são muito legais para passarmos alguns momentos, mas não para projetar um casamento.

  Não é só em relacionamentos amorosos que vemos isso, em amizades também.
  Quem não tem aquele colega que gosta muito de encontrar, ele é meio doidão, ti diverte bastante, mas passar muito tempo com o indivíduo seria desagradável, cansativo.

  Exemplo: Você mulher gosta de ir ao shopping, gosta de olhar as vitrines por 2 ou 3 horas e é legal fazer isso com uma colega o problema é que ela quer olhar vitrine por 6, 7 horas.

  Você homem gosta de futebol e é bom encontrar aquele amigo que também gosta desse esporte o problema é que ele só fala nisso, depois de 2 horas falando sobre times...ele continua falando sobre times.
ººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Essa música consegue fazer eu ter a sensação de amar perdidamente uma pessoa e o relacionamento chegar ao fim.

  Pode ser um ano de namoro ou dez de casamento.
  De repente aquela pessoa que faz tanto parte da minha vida decide ir embora.

  Você não tem como prende-la, tenta ser adulto aceitar a nova situação, mas a pessoa vai sair da sua vida de todas as maneiras, em todos os sentidos, devagar e para sempre por todos os poros.
  Quando escuto essa música fico triste por tudo que envolve essa situação.
  Depois o que vem?
  Ver a pessoa com outro e fingir indiferença?
  Com um sorriso falso desejar felicidades?

  Eu me emociono tanto ouvindo certas músicas lendo certas poesias.

  Calma não me achem masoquista.

  Eu preciso desses sentimentos para sair do meu mundo de emoções atenuadas, preciso visitar outros mundos outras realidades.

  Quando a música acaba me invade um profundo alívio.
  Sabe quando você tem um sonho ruim e acorda?
  Sabe quando você passa por um acidente de automóvel vê que é grave e aquela visão te deprime.
  Mas a vida segue adiante, você segue seu caminho e suspira aliviado.

  Ainda bem que não sou eu...

Anterior          <>        Próximo

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Quem paga o SUS?

    “Estamos cercados de convicções fantasiosas apenas porque o cidadão teve preguiça de pesquisar a informação e nós de conferir.
[William Robson]

 ____________________________________________
👱 “Se você comprar um pacote de arroz, parte do valor é imposto, que por sua vez, também vai para a saúde.
  Portanto, não há quem não contribua com o SUS.”
[Comentarista no G+]
_____________________________________________
    Há pessoas que mentem descaradamente, mas há muitas outras que simplesmente apoiam suas convicções em informações parciais.
  Não é que elas mentem, elas estão “equivocadas”.

  EQUÍVOCO = substantivo que significa erro, engano, lapso, mal entendido.

  O equivocado não age de má fé como o mentiroso, mas o erro persiste e os danos podem ser igualmente prejudiciais.

  No Brasil o imposto vai para a caixa preta do Governo e ele gasta “mais ou menos” onde quiser.

  No caso do INSS existe uma taxação exclusiva para ele.

  Você trabalhador com carteira assinada paga 8% e seu patrão mais 12%.
  Comprar um pacote de arroz [ou qualquer outro produto] não o isenta de contribuir com o INSS
  Você paga o imposto sobre o arroz e “mais” o SUS.
  O imposto sobre o arroz pode ir para N coisas inclusive para cobrir rombo do SUS.

  Não precisa ser técnico em matemática ou legislação para entender que quem trabalha contribui diretamente com o SUS.

  O ladrão ou o “biscateiro” pode eventualmente contribuir por “tabela” quando compra algum produto “legalizado”. [Pirataria não entra na conta]

  Acontece que sempre que ocorre o rombo, você que é trabalhador também compra arroz e também paga o imposto.

  Você contribui tanto para manter o Sistema quanto para cobrir o rombo do sistema que ocorre porque:

   Muitos utilizam o SUS, mas nem todos pagam por seus serviços.

  Observe como é importante conferirmos se a informação que recebemos é correta e se a entendemos bem.

  O comentarista agiu de má fé?
  Me parece que não.

  Ele pesquisou em algum livro ou site confiável da internet sobre a arrecadação SUS?
  Deduzimos que isso também não ocorreu.

  Ele deve ter lido meio por cima ou ouvido de alguém que julgasse qualificado pra dar essa informação.
  O fato interessante é que ele escreve com uma convicção que quem não conhece julga ser a mais pura verdade.
  Ele monta uma argumentação muito boa... se a informação que serve de base estivesse correta.
  Como a informação é falha tudo cai como um castelo de areia.
  Por isso um livre pensador tem que retroceder na história o tanto quanto possível, verificar as bases que sustentam qualquer argumentação.
  Estamos cercados de convicções fantasiosas apenas porque o cidadão teve preguiça de pesquisar a informação e nós de conferir.


  Dizemos que os impostos no Brasil são altos e essa informação é procedente se comparamos com impostos cobrados em outros países e consideramos a qualidade do serviço prestado.
  Mas isso em boa parte é consequência de nossa mentalidade estatizante.
  A maioria quer um Estado Paizão e o Governo cobra caro para ser babá.
  Carregar no colo um bebe de 1 ano não é muito complicado, carregar “marmanjos” vai ficando mais complicado a medida que damos mais benefícios sem aumentar a capacidade produtiva.
  Muitos “pensam” com o coração o problema é que coração não pensa, apenas bombeia sangue.

  Veja um caso:

  Conversei com uma mulher que tem criança com distrofia muscular grave.
  Ela trabalhou pouco na vida, hoje vive com os pais [idosos aposentados] e recebe uma pensão do “governo” para cuidar da criança.
   Não sei se ela chegou a casar, mas do pai da criança não se tem notícias nem dinheiro.

  Essa mulher enche o peito para falar que “paga impostos” e espera o melhor atendimento.

   Fala sério, qualquer um que entende minimamente de matemática sabe que a mulher e sua criança dão um prejuízo enorme para os cofres da sociedade.
  Ela não produz nada, utiliza a infraestrutura da cidade e ainda sua criança dá um gasto incalculável no SUS, são tratamentos caros sem prazo para acabar.

  A realidade que poucos querem enxergar é que há muitos brasileiros que são um enorme fardo.

   O Governo arrecada bastante e gasta bastante, nossa arrecadação é sempre menor que a despesa, tá, parte disso pode ir para corrupção, mas pelo que noto não dá para jogar tudo nas costas da corrupção.
  Há incompetência administrativa?  Sim.
 No entanto boa parte da população consome mais recursos do que produz.

  Quando for encher o peito para dizer que “paga impostos” ...faça as contas para ver se a informação procede.
  Se você mais recebe do que paga, baixe a bola, seja mais humilde.

  Se você paga...
  Já passou da hora de ser mais racional seu “equivocado”.

  [A maioria que paga é trouxa mesmo, não por pagar, mas por não exigir racionalidade nos gastos]






Anterior          <>        Próximo

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Sistema de Partilha

  “Porque empresas americanas e Inglesas, não participaram da concorrência do pré- sal?”  [Comentarista no G+]

  Porque não são otárias.
  O PT mudou o regime de concessão para o regime de partilha e colocou cláusulas abusivas.

  O regime de partilha altera a apropriação do petróleo, que mesmo após a extração, é de propriedade da União.
  O vencedor da licitação tem direito a uma parcela do petróleo, firmado em contrato, sendo que o Estado fica com, no mínimo, 41,65%.
   Em síntese, as mudanças efetuadas visaram aumentar a participação/intervenção do Estado na exploração do petróleo...isso chamamos de marxismo/socialismo.

  Os países com experiência limitada em campos de petróleo e instituições estatais fracas geralmente utilizam o regime de partilha...isso é o que o PT pensa do Brasil ou quer para o Brasil!?

  Perfurar poços em grande profundidade como é o caso de boa parte do pré sal é uma operação de altíssimo risco, imagine se houver algum vazamento.
  O ufanismo do Lula o levou a acreditar que as empresas estariam dispostas a correr qualquer risco nessa empreitada e não é bem assim.
  Pelo sistema de partilha adotado no Brasil as empresas nem ao menos serão donas do produto que retirarem.
  O Governo petista não se responsabiliza por nada, apenas aplicará pesadas multas caso as coisas não saiam como ele “imagina” que deve ser.

  É como se eu fizesse o trabalho pesado, lhe entregasse todo meu salário, você me daria alguns trocados e ainda tivesse TODO poder de decisão sobre o negócio.

  As grandes empresas por motivos óbvios estão preferindo investir na exploração do petróleo de xisto, menos arriscado e em países com maior segurança jurídica, instituições democráticas, justas e fortes.

  A China atualmente precisa muito mais de petróleo que qualquer outro país do planeta, para ela o risco é aceitável.

  Mas eu “desconfio” que o PT pegou mais leve com os chineses, duvido que eles apliquem alguma multa por irregularidades.
  E tenha certeza que elas irão ocorrer, a China é ainda mais corrupta que o Brasil... clique aqui

☼☼☼☼☼☼☼☼☼☼☼

  Os socialistas dizem que o sistema de partilha reverte para o social e o de concessão não.

  É uma das coisas mais idiotas que eu já li, mas para maioria do nosso povo que adora a retórica socialista [foram formados “cidadãos marxistas” em nossas escolas] esse discurso conquista corações e mentes.

  Entenda que as empresas privadas PAGAM IMPOSTOS e o Governo os aplica como bem entende.
  Se quer aplicar na educação ou na construção de uma usina nuclear nada o impede.
  Como a administração privada é mais eficiente o volume de recursos acaba sendo bem maior.

  Veja um exemplo:

  O Brasil é conhecido por ser um país com as mais altas taxas de impostos do mundo, e a cerveja não foge à regra: 60% do valor que você paga em sua bebida são impostos.

  Devido às altas taxas tributárias do Brasil, mais da metade do valor pago em sua cerveja vai direto para o governo. No preço emitido pela cervejaria estão inclusos IPI, PIS, COFINS, ICMS e ICMS ST. As cervejas artesanais são as que mais sofrem tributação, chegando a 40%, contra 25% das industriais.

  Mesmo com os valores já abusivos, o Governo pretende subir os impostos de Pis/Cofins de produtos importados e do setor de cosméticos, e sobre produtos industrializados (IPI) de bebidas frias (cervejas, refrigerantes, isotônicos e água).  O objetivo é arrecadar R$ 4 bilhões que serviriam para o Tesouro   Nacional aumentar seus repasses para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

  A medida é devido ao aumento dos custos no setor elétrico neste ano, afetado pelo acionamento das termelétricas em meio à forte seca que abateu sobre o país. Clique Aqui

  Para você que não gosta de matemática vou tornar mais claro.
  Se no supermercado você paga 2 reais em uma cerveja, toda cadeia produtiva fica com 80 centavos o Governos fica com 1,20.
  Nesse caso em destaque ele quer cobrir o rombo do setor energético, mas poderia aplicar em saúde, educação, construir estádios de futebol... com jeitinho engordar contas de políticos em paraísos fiscais.

  Entenda que o sistema de partilha não é um mal em si, tudo depende da qualidade administrativa do Governo.
  Infelizmente a capacidade administrativa do governo é quase sempre inferior à da iniciativa privada.
  Se tiver curiosidade em entender porque: Clique Aqui

  “Quem usa o dinheiro capitalista é o governo socialista, que quer dominar todas as esferas da sociedade.” [Rô Moreira]


  Quando está tudo dominado e o Capitalismo exaurido, não tem mais de onde desviar dinheiro, a economia fica caótica, a população tem que se contentar com o básico, os únicos com fartura são os altos membros do governo, então é hora de culpar o “imperialismo” estrangeiro. Aqueles povos reacionários que aplicam Capitalismo de boa qualidade.



Anterior          <>        Próximo

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

“Sou a favor de desenvolvermos nossas próprias tecnologias.”  [Comentarista no G+]

  Reinventar a roda!?
  Há sempre novas tecnologias para serem desenvolvidas, mas se insistirmos em começar do zero... a corrida fica impossível.
  Desenvolver uma Internet só nossa, diferente de tudo que está aí?
  Viu o que fizeram com nossas tomadas?
  Diferentes de tudo que existe no mundo, nossas próprias tomadas.  
  Aqui em casa é um festival de extensões e adaptadores.

  Acabamos de queimar um liquidificador.
  Os pinos da tomada são de diferentes tipos, tem uns mais grossos.
  Ao que parece nós estávamos colocando o liquidificador com pino fino em uma tomada para pinos grossos, o mal contato danificou o motor.
  Aparentemente a tomada prende bem devido ao encaixe plástico, mas o contato metálico interno não é satisfatório.

  "Quando os nossos milhares de estudantes chineses no estrangeiro voltarem para casa, você vai ver como a China vai se transformar."
"Pobreza não é socialismo. Ser rico é glorioso."   [Deng Xiaoping]

  Quando o Ocidente começou a fabricar seus produtos na China aproveitando a mão de obra barata, teve o efeito colateral da TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA.
  Claro que depois do engenheiro chinês ver tantos projetos de celulares e computadores aprendeu como fazer a “roda” e a partir dela dar outros saltos.

  Resumindo: Não precisamos criar “nosso próprio” aparelho de TV, há ótimos televisores no mundo e os conhecendo bem podemos dar um salto além.
  Mas se não dermos esse salto além não tem tanta importância, nosso povo não será privado de ótimos aparelhos de TV só porque nossos engenheiros são pouco eficientes.

  Quero dizer que fechar o mercado para desenvolver uma tecnologia funcionou no passado, mas hoje em dia só prejudica a população.

  O negócio é ter contato com desenvolvedores do mundo todo e contar com nossa criatividade.
  Somos criativos, mas nossa cultura privilegia um “nacionalismo” arcaico e um marxismo fora de tempo e lugar.

  Universidades como a USP e UNICAMP são totalmente refratarias a parcerias com o setor privado.

  Para elas tudo tem que ficar nas mãos do Estado, desenvolver produtos que interessam ao “mercado” é ceder ao nefasto Capitalismo.
  Então haja teses de doutorado que não servem para nada.

   Vejam o caso do pré sal, se estivesse sendo explorado por Americanos e Noruegueses [só um exemplo] com o conhecimento que eles tem sem dúvida estaria muito adiantado e rendendo muito dinheiro de impostos.
  O grosso da mão de obra seria brasileira, nossos engenheiros não são tapados ignorantes, a transferência de tecnologia seria inevitável.
  O Petrobrás tem uma certa excelência na exploração de petróleo, não vejo em que ela seria prejudicada em contato com povos que tem capital e conhecimento.

 Deng Xiaoping foi o melhor que aconteceu a China nos últimos, tempos pena que aqui no Brasil tantos defendam uma “venezualização”.

  O Brasil é uma tomada que insiste em não se encaixar no mundo desenvolvido.
[Nem no subdesenvolvido]


Anterior          <>        Próximo