sábado, 14 de fevereiro de 2015

Brizola

  “Brizola sempre foi uma das mais virulentas vozes contrárias ao processo de desestatização. Em abril de 1997, chegou a escrever no Jornal do Comércio:

   "A privatização da Vale é um ato insano e injustificável; eu desconfio da inteireza mental do presidente Fernando Henrique".

  O discurso de Brizola contra o suposto “entreguismo” sempre foi carregado de xenofobia, como se o comércio mundial fosse apenas uma batalha de estrangeiros contra brasileiros.  Clique Aqui
%%%%%%%%%%%%%%%%%
  Brizola foi mais um desses políticos brasileiros que queriam o Estado máximo e naturalmente sob seu controle.

  Qualquer um que propusesse privatizar uma empresa estatal era chamado de vendilhão da pátria.
  Para um liberal como eu Brizola foi mais um dos inúmeros tumores malignos que apareceram na política brasileira.

  Brizola contribuiu muito para difundir no Brasil essa cultura de ódio contra a empresa privada. 

  Outro caco que ele contribuiu muito para consolidar em nossa cultura é aquele pensamento que absolutamente todo ser humano é puro e bom, se ele faz algo mau como matar ou roubar é a sociedade que de alguma forma falhou com ele.
  Para Brizola os traficantes dos morros do Rio não eram bandidos eram líderes comunitários.

  Claro que Brizola não desenvolveu essa linha de raciocínio, ele apenas estava sintonizado com esquerdistas do mundo inteiro.
  Leonel Brizola tinha fama de bom orador e até era, mas lembre-se que esquerdistas falam o que 95% da população quer ouvir, que podemos viver um paraíso aqui na Terra, basta deixarmos tudo por conta do Estado e tudo será provido.
  Os administradores marxistas são tão eficientes que todos teremos uma ótima qualidade de vida.

  Se você comparar o Marxismo com as promessas de muitas religiões perceberá muita semelhança.

  A grande diferença é que as religiões prometem um paraíso após a morte e os marxistas um paraíso em vida terrena.

  No Comunismo puro proposto por Marx a concentração de poder nas mãos do Estado era apenas um estágio de passagem, no final viveríamos em uma paz e harmonia tão grande que nem haveria necessidade de Governo ou Estado.
  Afinal absolutamente todo homem é puro e bom, temos que voltar a nossa essência que existia antes da propriedade privada e do capital... acredite quem quiser.

  No marxismo é proibido dizer tenha fé porque fé e muito ligado a religião e para marxistas religião é o ópio do povo; junto com o capital e a propriedade privada a religião nos distância da nossa essência pura e boa. 
ººººººººººººººººººººººººººººººººººº
  Aqui chegamos em um ponto fascinante.
  Vamos usar nossa amiga dialética.

  E se todos os humanos não forem essencialmente puros e bons?

  Nem estou falando de assassinos e assaltantes.
  No marxismo você querer ter LUCRO ou ser proprietário de alguma coisa não é bom.
  O ser humano puro e bom vive em prol da coletividade, não tem AMBIÇÃO de ter ou ser mais que ninguém.

  Se você tiver algum lucro poderá ter uma vida melhor que seu vizinho, isso cria classes sociais e no Comunismo não pode ter classes sociais e assim o comunismo tem mais esse “apelido” IGUALITARISMO.

  Mas entenda que não importa o nome ou apelido importa a aposta.

  Marx aposta todas suas fichas na famosa teoria da folha em branco.

  Todos nascemos geneticamente puros nosso caráter [personalidade] é moldado pelo meio [Sociedade].

  O Estado assumi com plenos poderes, faz essa sociedade igualitária a força onde nenhum indivíduo pode ser ambicioso e se for o isolamos da sociedade com prisão ou pena de morte.
  O resto ocorre automaticamente por toda eternidade, nem precisamos mais de Estado ou Governo.

  Crianças puras e boas nascendo em uma sociedade pura e boa a erradicação de todo mal na face da Terra.

  “Imagine não existir países
  Nada pelo que matar ou morrer
  E nenhuma religião também
  Imagine todas as pessoas
  Vivendo a vida em paz

  Tenho a esperança de que um dia
  Você se juntará a nós
  E o mundo será como um só

  Imagine não existir propriedades
  Sem necessidade de ganância ou fome
  Uma irmandade do Homem
 Imagine todas as pessoas
 Compartilhando todo o mundo
 E o mundo viverá como um só.”  CliqueAqui

  E se geneticamente alguns de nós nascem ambiciosos?

  E se a teoria da folha em Branco não corresponder a realidade?

  O Estado nunca poderá deixar de existir ele ficará eternamente prendendo e matando quem PENSAR DIFERENTE. 

  Eu tenho quase certeza que a teoria da folha em branco não corresponde à realidade.
  Nascemos diferentes e temos que conviver com nossas diferenças o Igualitarismo não corresponde a essência de nossa espécie.
 
  Brizola imaginava essa Sociedade igualitária onde haveria um único ser superior a todos os outros, o próprio Brizola, nosso Líder Supremo... clique aqui



  Brizola em 3 Resumos:

1 -  Em 2001, a Revista Veja veiculou matéria em que apontava que Brizola teria quadruplicado o seu patrimônio após a volta do exílio. A matéria foi, supostamente, “baseada” em documentos cedidos pelo próprio filho de Brizola, José Vicente.
  De acordo com a revista, os documentos cedidos por José Vicente apontavam que o patrimônio de Brizola aumentara em 10,7 milhões de reais. O que, segundo a revista, seria incompatível com os rendimentos oriundos do seu salário de governador. Em 1983, às vésperas de assumir seu mandato como governador do Estado do Rio, possuía um patrimônio de quatro milhões e meio de reais. Ao morrer, seus bens somavam pelo menos quinze milhões. De acordo com Brizola, seu patrimônio teria sido herança de sua falecida mulher, Neusa, irmã do presidente João Goulart.

  Em 2000, José Vicente havia brigado com o pai e se desfiliado do PDT, indo para o PT. Numa manobra política, José Vicente foi nomeado Diretor das Loterias do Estado, contra a vontade de seu pai. Como o cargo exigia a graduação em nível superior, o PT mandou para a Assembleia Legislativa um projeto de lei modificando este critério, para poder nomear José Vicente. Na ocasião Leonel Brizola desabafou dizendo que José Vicente não era mais seu filho e sim filho político do governador Olívio Dutra. Brizola atribuiu a veiculação da reportagem ao PT gaúcho e ameaçou processar a revista Veja, o PT e o próprio filho. Na ocasião, Brizola ainda acusou José Vicente de abusar da bebida. Clique Aqui

2 -  BRIZOLA ERA POLÍTICO DE UM PROJETO SÓ.
  Escolas bem equipadas e de período integral...quem pode ser contra!?
  Eu não sou.
  Mas ele era mais um esquerdista, um postulante a Hugo Chaves.
  Não era uma má pessoa, apenas defendia ideologias socialistas que não se mostraram muito eficientes no mundo. [William Robson]

3 - Os governos de Leonel Brizola (PDT) criou o mito que o tráfego de drogas é “movimento social” e que bandido é “líder comunitário ou então líder social”.
  De um lado, Leonel Brizola tinha uma política populista e irresponsável que visava conseguir votos e ajuda-lo a realizar seu grande sonho, ou seja, ser eleito presidente da república. Do outro lado, a massa de pobres abandonados à própria sorte era vista como um forte reduto de um possível movimento de insurreição popular. Movimento que levaria o Brasil a implantar a ditadura socialista. Neste contexto o abandono das periferias por parte do poder público era visto, dentro de um megaprojeto politico, como um mal necessário.

  Quem sucedeu Leonel Brizola em sua política oportunista foi o casal Anthony e Rozinha Garotinho. Ambos foram governadores do Rio de Janeiro. E ambos deram continuidade, cada um a seu modo, a política iniciada por seu padrinho político, ou seja, Leonel Brizola. Nos governos Anthony e Rozinha Garotinho foram repetidos a política populista de abandonar a periferia. Novamente o “romantismo” de ver o bandido como “líder comunitário ou então líder social” prevaleceu.


  As consequências da política equivocada desenvolvida pelo sistema Brizola-Anthony-Rozinha Garotinho é que o crime se organizou, criou um sistema de “Estado paralelo”, proclamou a autonomia de amplas regiões da cidade frente ao poder da União e, acima de tudo, impôs o medo e o terror aos cidadãos. Para combater essa terríveis consequências o Estado tem que desembolar milhões em reais, fazer megaoperações militares, com o uso até mesmo de tanques de guerra, e colocar em risco a vida de milhares de cidadãos.  Clique Aqui



Anterior          <>        Próximo