sábado, 20 de junho de 2015

Brasuiça ou Brasíndia?

  “Melhorar a qualidade de vida da população da Índia passa por melhorarmos sua capacidade de consumo, imaginem uma Índia com capacidade de consumo suíço.”
[Comentarista no G+]

  Da até medo de imaginar, acredito que seja impossível.
 Seria uma calamidade insuportável para o planeta!



  “Num mundo onde a água por exemplo deveria ser universalizada e não o será nas próximas décadas! Porque deveríamos apoiar esta política capitalista devoradora?” [Comentarista  no G+]
▬▬▬▬▬▬
  O Capitalismo não nos obriga a procriarmos feito ratos.
  Eu só tenho duas filhas porque é a taxa de reposição.
  Esse planeta suporta com folga 5 bilhões de habitantes, quanto mais humanos maior o consumo.
  Hoje em dia ecologista de verdade não tem mais que 2 filhos.
  Sei que não gostam da realidade, mas se a água ficar escassa não tenham dúvidas que as regiões mais pobres e áridas é que irão perecer, os povos subdesenvolvidos mais que ninguém deveriam se preocupar com o PLANEJAMENTO  FAMILIAR.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
 Para terem uma ideia da catástrofe de uma Índia com grande capacidade de consumo saibam que a Suíça tem 8 milhões de habitantes.
  Vamos supor que um suíço tenha capacidade de consumo 10 vezes maior que um indiano isso significa que a Suíça consumiria recursos do planeta equivalente a 80 milhões de indianos.

  A índia atualmente tem 1.290.000.000.

  Um BILHÃO, duzentos e noventa milhões de pessoas.
  Se aumentarmos a capacidade de consumo dos indianos em 5 vezes que seja, pensem o quanto isso representaria em termos de retirar mais recursos do planeta.

  Ficamos diante do dilema:
1 - Não nos importamos com o crescimento populacional na Índia e torcemos pela miséria para não sobrecarregar a natureza.
2 - Torcemos pela diminuição drástica daquela população com melhora acentuada na qualidade de vida.

  Eu fico com a opção 2 é a mais lógica.
  Melhor educação, infraestrutura acompanhada de uma campanha maciça para cada casal ter no máximo 2 filhos.
  O casal que tivesse só 1filho seria recompensado com algum dinheiro mensal, no segundo filho essa recompensa seria reduzida pela metade e a partir daí seria retirada.

  Se não podemos punir os que tem mais de 2 filhos podemos pelo menos premiar os mais “conscientes”.

  Esses países super populosos são um dos maiores perrengues no futuro próximo da humanidade.
  Principalmente porque a Cultura/Religião que praticam os torna muito irracionais.
  É tanta irracionalidade que é mais fácil você ler essa matéria da Super que eu ficar apontando o fraco bom senso dos indianos.

 “Mal sai da barriga da mãe, um bebê indiano ganha um rótulo.
  Entra em uma das 4 castas de uma hierarquia social ditada pelo hinduísmo, que pela ordem tem os sacerdotes, ou brâmanes, depois reis e guerreiros (xátrias), mercadores e produtores (vaixás) e servos (sudras).
  É um esquema que divide o trabalho entre a sociedade e garante que sempre haja um grupo cuidando da religião, da organização política, do comércio e dos serviços.
  Faz tempo que isso funciona assim - praticamente desde 1500 a.C., quando o princípio dessa classificação apareceu nos Vedas, uma série de livros sagrados para o hinduísmo.
  Os hindus acreditam em reencarnação, e acham que o ciclo de nascimento e morte serve para compensar nossas ações: nesta vida se faz, na próxima se paga.
  Para libertar a alma desse vai e volta ao corpo, é preciso cumprir deveres que beneficiem toda a comunidade.
  Que deveres?
  Exatamente aqueles que se ganha na hora do nascimento.
  Só que nem todo mundo se encaixa em alguma dessas castas.
  Os excluídos da hierarquia são os "intocáveis", conhecidos como dalits.
  Não podia ter sobrado destino pior pra eles: ficaram com as tarefas consideradas impuras, que ninguém mais faz, como limpar excrementos.
  Dalits são considerados tão sujos, mas tão sujos, que ninguém de outras castas deve tocá-los (daí o apelido carinhoso).
  Não muito tempo atrás, até a sombra deles fazia qualquer brâmane sair correndo para não se contaminar.”
[Superinteressante]

  Todos sabemos que mudar CULTURA não é impossível, mas é bem difícil, o Governo indiano tem se esforçado para isso, não dá para fazer milagre.
  Talvez a mudança seja acelerada com o uso da Internet, um dalit pode observar que a Índia não é o Mundo apenas faz parte dele.

  Antes de culpar a religião veja que suíços são religiosos:

  “O cristianismo é a religião predominante na Suíça com 79% da população a afirmar-se cristã, dividida entre a Igreja Católica com 40% de fiéis, várias denominações protestantes com 35% e outros cristãos com 4%.
  A imigração trouxe o islão (3%, predominantemente kosovares e turcos) e a ortodoxia oriental (1%) como religiões minoritárias significantes.” [Wikipédia]

  Porque suíços são mais racionais que indianos?

  Já flutuei por essa brecha no texto sobre frequências.
  Mas o importante é você entender a importância de submeter nossa cultura a lógica.
  Nós brasileiros estamos longe da irracionalidade da índia e igualmente distantes da racionalidade dos suíços.
  Eu quero caminhar culturalmente para a Suíça e você?



  A religião influência, mas ela também é consequência da Cultura.
  Não é porque um livro diz que eu tenho sempre que oferecer a outra face diante de uma agressão que eu cegamente seguirei essa doutrina/orientação.
  Na Índia a religião predominante é o Hinduísmo que por ser muito antiga tem centenas de vertentes, assim como o Cristianismo.

  A Religião é uma ferramenta poderosa, mas cada um decide como usar essa ferramenta.
  Como em qualquer casa aqui temos facas, nos são muito uteis, ferramentas indispensáveis.
  Usamos basicamente para preparar alimentos, se eu usar para praticar assaltos ou matar algum desafeto... o problema está na faca ou no uso que faço dela?
  Para eu ser religioso não trazia nenhum benefício só gastava meu tempo então desisti de qualquer religião

  ME PERGUNTARAM COMO FOI DESISTIR DE TER RELIGIÃO?

  Essa música começou tocar em minha mente:

Começar de novo e (SÓ) contar comigo
Vai valer a pena ter amanhecido
Ter me rebelado, ter me debatido
Ter me machucado, ter sobrevivido
Ter virado a mesa, TER ME CONHECIDO
Ter virado o barco, TER ME SOCORRIDO

Vai valer a pena ter amanhecido
SEM AS TUAS GARRAS, SEMPRE TÃO SEGURAS
SEM O TEU FANTASMA, SEM TUA MOLDURA
SEM TUAS ESCORAS, SEM O TEU DOMÍNIO
SEM TUAS ESPORAS, SEM O TEU FASCÍNIO

Começar de novo e contar comigo
Vai valer a pena já ter te esquecido

Clique no link...é lindo demais ♫♫♫


Anterior          <>        Próximo