sábado, 13 de fevereiro de 2016

Loucura Genial

  “A gente tá nesse esquema de nazismo faz 1 ano e tem uma coisa que eu não entendi.
  Por que a gente odeia preto?
  Eles são diferentes, andam diferentes, falam diferentes, eu tô sabendo.
  Mas, e judeu, cara?
  Por que a gente tem que odiar judeu?”
  [Personagem de Paul Walker]

  Eu gosto de filmes loucos, não confundir com besteirol, a loucura tem que ter genialidade.

  É um tipo de filme muito raro.
  Eu sei porque gosto tanto desse tipo de filme, claro que já meditei sobre isso.
  A loucura está sempre em meu encalço, a única coisa que faço é correr mais que ela.
  Quando assisto esse tipo de filme é como se a loucura estivesse presa atrás de um vidro, eu posso observa-la tranquilamente sem teme-la, sem ficar na correria.
  Essa semana tive a sorte de assistir um desses filmes raros e vou compartilhar parte dele com vocês.
  Só uma cena, mais ou menos como me lembro, o importante é a essência.
  A fala de um personagem consegui na integra a do outro terei que improvisar para fazer sentido a quem não assistiu ao filme.

  Dois caras drogados conversam na caminhonete enquanto estão a caminho de praticar um assalto.

Paul Walker “Cara, eu tenho que te perguntar uma coisa. É papo sério. Não vai achar que eu sou um manézão.
  A gente tá nesse esquema de nazismo faz 1 ano e tem uma coisa que eu não entendi. Por que a gente odeia preto?
  Eles são diferentes, andam diferentes, falam diferentes, eu tô sabendo.
  Mas, e judeu, cara?
  Por que a gente tem que odiar judeu?
  Eu fiquei sabendo que o Jerry Springer é judeu. O Jerry Springer, cara. Olha, se eu visse ele na rua, eu dava um abraço nele e ainda pedia um autógrafo.
  Eu tenho lá em casa uns três DVDs do Adam Sandler. Eu também fiquei sabendo que ele é judeu.
  Se eu entrasse num lugar e tivesse dez judeus do meu lado, eu nem ficaria sabendo. Qual que é a diferença? Porque eles têm dinheiro? Dinheiro não é tão ruim assim não. Eu queria ter dinheiro.
  Eles têm nariz grande.
  O Ted tem uma nareba gigante, maior que esse carro aqui e ele não é judeu.
  E daí, a gente tem que odiar ele?
  Agora, pera lá… Jesus é judeu, cara.
  Eu tô falando de Jesus. A gente vai na missa todo domingo e fica lá rezando pro rei dos judeus, cara. E aí?”

  Depois de algum silêncio o parceiro responde.

  Kevin RankinNÃO SEI, NÃO SEI PORQUE DEVEMOS ODIAR JUDEUS!
  Você está me irritando cara!
  Não sei nem porque temos que odiar os negros.
  Meus dois melhores amigos são negros, o Jack e o Barry.
  Os caras são muito legais.
  Um dia eu estava com larica e o Martin me chamou para essa reunião nazista, tinha uns sanduíches deliciosos com minis salsichas.

  Paul WalkerO lanche é demais, onde eles conseguem aquelas mini salsichas tão deliciosas!?
  Então vamos parar de ser nazistas ou vamos fingir ser nazistas?

 Depois de algum silêncio.

  Kevin RankinAqueles sanduíches são uma delícia.

Paul Walker/ Kevin Rankin Vamos fingir ser nazistas!
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHH!
  Eu tive que pausar o filme para rir feito louco, não conseguia parar.
  Na minha mente ficou ainda mais engraçado porque substitui mini salsicha por “mortadela”.
  Os atores são muito bons e a cena ficou tão deliciosa quanto provocativa.
  Ainda não tinha visto um trabalho de Paul Walker fora daquela baboseira de Velozes e Furiosos, que triste que ele tenha morrido...

  Filosofando um pouco:
  Que bom seria se todas as pessoas parassem um pouco para pensar sobre suas opiniões, sobre as causas que se engajam, porque se ligam a uma doutrina ou ideologia.
  Os rapazes gostavam do movimento nazista porque o lanche era muito bom, mas depois de pensar um pouco não estavam mais dispostos a odiar negros e judeus, não fazia sentido.

  É mais ou menos o que falo sobre frequentar igrejas.
  Você gosta daquele ambiente de cânticos, belos discursos, louvores ... tudo bem, mas acreditar que a Bíblia é 100% a palavra de Deus e viver em função disso não faz sentido.

  É mais ou menos o que eu falo sobre o marxismo, você torcer para que todos os humanos não tenham mais ambição e todos vivam do básico para existência é um sonho bonito, mas não tenha ilusão que isso vai se realizar um dia.
  Somos muito diferentes uns dos outros.
  Da mesma forma que não devemos esperar que todos um dia serão Hitler não devemos esperar que um dia todos serão Madre Tereza.

  Da minha parte observo que a maioria de nós tem uma tendência mais para o bem que para o mal.

  Se começarmos a pensar, questionar nossas próprias opiniões, podemos construir uma bela Sociedade.
  Amém?




Pawn Shop Chronicles - YouTube

   [Busca Alucinante – “Titulo bobo em português”]

Anterior          <>        Próximo
Postar um comentário