sábado, 16 de julho de 2016

Pena de Morte

  “Meu medo da pena de morte é uma eventual injustiça, prefiro penas reversíveis.”
[Comentarista no G+]



 Muitas pessoas parecem não perceber o quanto evoluímos tecnologicamente e mentalmente.
 A ideologia/opiniões delas parou lá por volta de 1950.

  O cidadão por vezes não tem nem 25 anos, mas repete sem pensar frases prontas que não correspondem à realidade atual.
  Nossa ciência e tecnologia evoluíram bastante o que era muito sujeito a falhas no passado hoje não é mais.

  Alguns exemplos:

Antes do teste de DNA alguém poderia assumir a responsabilidade por uma criança sem ser o pai biológico.
  Talvez depois de anos observando características muito diferentes o cidadão poderia colocar em dúvida, mas como provar?
  Depois de anos virou “pai de criação”, desenvolveu grande simpatia pelo “filho”.
  Atualmente os testes de paternidade são muito confiáveis.
  A justiça está bem mais fácil de ser praticada.
  Quem é o pai biológico paga pensão.

Não faz muito tempo um diagnóstico de câncer de mama era quase um atestado de óbito.
  Hoje o tratamento é sofrido, mas as taxas de curas são muito boas.
  Nossa medicina evoluiu tanto que embora a notícia de câncer seja algo que ninguém quer ouvir ... também não é caso para desistir de tudo e fazer o testamento.

Faz algum tempo quebrei um dente, no passado eu ficaria desdentado ou usaria uma ponte.
   Fiz um implante e sigo minha vida sem maiores transtornos.
   Se eu não disser que fiz implante ninguém nota.

Na década e 80 e 90, ter telefone fixo em casa custava uma pequena fortuna ou uma longa espera.
  Hoje muitos nem tem telefone em casa, não porque não podem, mas porque o móvel é bem mais prático.

  O QUE ISSO TEM A VER COM A PENA DE MORTE?

  Hoje temos testes de DNA, câmeras espalhadas por toda parte, testes de balística, uma grande liberdade de expressão e acesso a meios de divulgação que permitem qualquer um contestar qualquer resultado e torná-lo público.
  Perfeição não existe, mas hoje em dia conseguir provas muito bem fundamentadas que alguém praticou (ou não) um crime está bem mais confiável.

  Na dúvida NÃO aplicaríamos a pena de morte.

  No entanto cansamos de ver crimes perfeitamente comprovados os quais caberiam a pena de morte.
  Quem tem dúvidas que a Suzane planejou a morte dos pais?
  Quem acredita que os grandes líderes do tráfico que continuam mandando de dentro da prisão são vítimas inocentes do sistema?

  Recentemente um vigilante em Goiânia confessou ter matado dezenas de pessoas, e todas as investigações apontam para isso mesmo...NÃO HÁ DUVIDAS.
  Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos matou ao que se sabe 39 pessoas. [Globo]

  Um tiro na nuca desse cara sairia bem barato.
  Um preso custa em média 40 mil reais por ano.
  Dinheiro que poderíamos gastar com crianças, idosos, estudantes, deficientes, cobrar menos impostos...

  Justamente por a pena de morte ser irreversível é que só devemos submeter alguém a ela quando tivermos o “máximo de certeza.”
  No entanto esse máximo de certeza não pode chegar ao absurdo do cidadão ficar 10 anos no corredor da morte.
  Com provas concretas o réu teria no máximo 5 anos para tentar algum recurso senão acontece o que vemos em alguns países...
  Há tantos recursos que o processo se arrasta por anos e consegue custar mais caro que prisão perpetua.

  Entre a burocracia da pena de morte nos Estados Unidos e o verdadeiro açougue na China dá para chegarmos a um meio termo.

  Se temos provas concretas a única coisa que nos impede de aplicar a pena de morte são conceitos morais, então vamos a eles.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
“Só quem pode tirar a vida é DEUS.”
[Comentarista no G+]

  Esse argumento é muito perigoso.
  O ladrão assassino é um anjo ou demônio a serviço de Deus!?

 Na madrugada do dia 5, Champinha levou a estudante até o matagal, onde tentou degolá-la.
  Depois, ainda de acordo com a polícia, golpeou a cabeça de Liana com uma peixeira.
  Quando a estudante caiu no chão, o adolescente ainda desferiu diversos golpes nas costas e no tórax da menina.”  [Sobre Atenuantes]

   Champinha matou Liana pela vontade de Deus?
   Era hora dela morrer e Champinha foi apenas um instrumento para o que Deus já havia determinado?

  Você entendeu como é complicado defender um “Deus Bom” que saí por aí matando as pessoas?

  Não estou falando nem da morte em si, morrer faz parte da vida.
  Apenas acredito que um Deus bom nos deixaria morrer de velhice ou por alguma doença natural desse planeta ou até por algum descuido nosso.
  Mas permitir que outro cidadão interrompa minha vida... esse argumento não consigo defender.

  Pense em alguém querido.
  A pessoa dirigia moto feito louco sofreu acidente e morreu.
  Seu ente querido contraiu uma doença grave e morreu.
  A pessoa estava seguindo a vida normal e alguém a assassinou.

   Sei lá, se alguém conscientemente coloca a vida em risco por desatenção ou imprudência ... está exercendo seu livre arbítrio.
  Contra doenças de todos os tipos nossas principais armas são prevenção e a evolução da medicina.

  Para eu a morte mais difícil de aceitar é o assassinato.

  Quero dizer que se só Deus pode tirar a vida então todos que morrem (não importa como) foi feita a vontade de Deus.
  Deus pode te matar de alguma doença, de um acidente de carro ou na ocorrência de um latrocínio.
  Entretanto se só é somente ele pode matar ... apenas varia o instrumento utilizado.
  Vírus, desatenção ao volante, assassino.

“Ninguém morre antes da hora.”

  O problema com essa linha de raciocínio é óbvio.
  Se eu aplico a pena de morte em um marginal estou sendo apenas um instrumento na mão de Deus.
  O marginal morreu porque chegou a hora dele.

  Senão fica tudo muito difícil de justificar.
  Se o bandido mata está fazendo a vontade de Deus.
  Se eu mato o bandido estou querendo tomar o lugar de Deus!?
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Outros dizem que matar é uma selvageria.

  “As pessoas de bem não podem se rebaixar a pena de morte porque se colocariam ao nível dos marginais, não seriam melhor que eles.”

  Francamente não sei como defender um conceito ridículo desse.
  O bandido matou por motivo torpe/fútil ele foi o júri, juiz e carrasco.
  Eu estou matando o bandido porque ele matou alguém, meu motivo não é fútil.
  Uma vida foi tirada.
  O bandido terá direito amplo de defesa e só será condenado a morte se as provas forem muito conclusivas.
  Não sei que "mesmo nível" e esse!
  VOCÊ está no mesmo nível que Milton Severiano Vieira?

Noivo mata funkeira Amanda Bueno
(Não veja se tiver restrição)

  “As gravações mostram que Amanda e Vieira começaram a discutir e descambam para a agressão física.
  Ele a derruba no chão e bate com a cabeça da morena no chão. Em seguida, o criminoso atira por várias vezes contra a cabeça dela com uma pistola. A dançarina já está morta quando Vieira troca de arma e faz mais cinco disparos com uma escopeta calibre 12.” [Varela Notícias]

  É realmente incrível que alguém seja capaz de tanta selvageria.
  O monstro bate com a cabeça da moça no chão várias vezes e não satisfeito dispara vários tiros.
  Quem é contra a pena de morte, acredita mesmo que um cara desse tem recuperação?
  E se tiver?
  Ser condenado a 30 anos e não ficar nem 15 é justo pra você?

  Eu pagaria com prazer o projetil que matasse esse cara.
  Se eu fosse o carrasco atiraria e dormiria com a consciência tranquila.

  Lamento pelas vítimas e por todos que são contra a pena de morte...          




Anterior          <>        Próximo