sábado, 27 de agosto de 2016

Jesus e o Comunismo

  Uma coisa que tem me incomodado ler e ouvir é que Jesus foi o primeiro Comunista.

  Eu nem levava a sério, são ilações tão grotescas.
  Porque isso não me incomodava e passou a incomodar?

  Noto que o pensamento de Direita avançou bastante no Brasil e a Direita é unha e carne com o Capitalismo.
  Malandramente, com essa história que Jesus foi o primeiro Comunista a Esquerda dá um ar de sagrado as teorias de Marx.

  Se a Esquerda é de Deus a Direita só pode ser coisa do demo!

  Sei, sei isso é risível para quem conhece história, mas quem conhece história?

  Eu sei que historicamente comunistas perseguiam religiões.
  Marx dizia que religião é o ópio do povo.
  O ateísmo e o comunismo sempre foram muito ligados no combate as religiões.

  Entretanto o cidadão que não se interessa por história começa a ler e ouvir que Jesus foi o primeiro comunista e pode virar um idiota útil.
  Qual o argumento da Esquerda?

    ✞  Jesus pregava dividir tudo com os pobres.
  ☭ O Comunismo prega dividir tudo com todos.

  Isso é suficiente para filiarem Jesus ao PC do B!? 😂

  Então Buda foi o fundador do Comunismo porque nasceu 500 anos antes de Cristo e pregava o desapego da matéria.
  Se você por situação ou opção vive com apenas o básico para sobrevivência … vive na pobreza.

   E aqui começa as comparações.
   Eu já li muito sobre Comunismo, Marxismo, Socialismo; não tem nessas ideologias nenhuma ode à pobreza.
  Pelo contrário, há uma promessa de boa qualidade de vida para todos.
  E o que falar da caridade?
  É alguma característica básica da ideologia comunista?
  NÃO.
  O incentivo à caridade é característica da maioria das religiões, mas eu desconheço que isso tenha algum capítulo especial no Livro Capital de Marx ou fazia parte dos discursos de Lenin ou Stalin.
  Não, não estou falando que comunistas são contra a caridade apenas não é alguma espinha dorsal dessa ideologia como é na ideologia de Jesus.

  Logo, considerar Jesus um comunista porque pregava dividir o pão é forçar a barra demais.

  O que Jesus falava sobre o papel do estado na economia?
  Nada.
  Temos aquela famosa frase:

  “Dai a César o que é de César.”

  Referente aos impostos devidos a Roma, fora isso não me lembro de mais nada.
  Qual a opinião de Jesus sobre meios de produção?
  Não sei.

  Qual a opinião de Jesus sobre o conceito de propriedade?
  Ele dizia que o reino dele não era aqui e que seu Pai tem várias moradas.
  Não dá para deduzir muita coisa.
  Como ele defendia o desapego material acredito que não ter imóveis fazia parte do pacote.
  Isso implicaria em vivermos nômades como os ciganos e tribos indígenas.

  Mas se você realmente acredita que Jesus pregava o puro comunismo tudo está muito fácil para você.
  Jesus nunca reclamou da política ou contestou o poder de Roma.
  Então esqueça debates ou posições políticas simplesmente pague seus impostos, dê a César o que é de César.
  Se bem que você nem terá impostos para pagar.
  Doando tudo aos pobres você vai pagar o quê a algum governo!?

  Enfim Jesus pregava a caridade, o desapego a bens materiais, o não envolvimento em questões políticas.

  Se os Comunistas vão se converter integralmente ao cristianismo … é uma boa notícia.
  O problema é os cristãos se converterem ao comunismo...

  “A Teologia da Libertação foi uma tentativa de parte da Igreja Católica em se adaptar ao novo mundo que surgia.
  Na década de 70, parecia que o mundo caminhava para o Comunismo.
  Acontece que o Comunismo na década de 80 foi se mostrando uma grande furada e a “TL” seguiu pelo mesmo caminho.

  O Vaticano foi rápido em desfazer o mal-entendido, mas esse tipo de ideologia é difícil de ser eliminada totalmente, idéias são vírus poderosos.” [Repense]


Fidel ... mais um comunista:

  "Ninguém em Cuba sonha em ter uma reserva de caça pessoal, mais de 20 residências que eu pessoalmente conheci e uma ilha privada, Cayo Piedra (ao sul da Baía dos Porcos), que conta com um restaurante flutuante e um aquário de golfinhos, aonde Fidel levava sua família e seus amigos mais próximos.
  Ao contrário do que dizem, Fidel nunca renunciou às comodidades capitalistas ou escolheu viver na austeridade.
  Seu estilo de vida é de um capitalista sem nenhum tipo de limite".


Anterior          COMENTAR        Próximo 



sábado, 20 de agosto de 2016

Porque Ateus Falham?

  O pior erro é aquele no qual não aprendemos nada de novo.
  Quando vamos aprender que o Marxismo é um erro?
  (Aprendizado essencial para ateus.)

____________________________________________________________________
  “Para Ciência sugerir que o "pensamento espiritualista" funciona, inicialmente, deve-se constatar a existência do sobrenatural/paranormal/espiritual”.
[Comentarista ateu no G+]
_____________________________________________________________________  

  Não, não precisa.
  Se espíritos existem ou não existem é uma outra discussão.

  “ACREDITAR QUE ELES EXISTEM” faz diferença independente de eles existirem de fato.

  Meditemos:

  Acreditar que um casamento pode dar certo nos faz casar.
  Ter a certeza que casamento é sinônimo de infelicidade nos faz fugir de relacionamentos sérios.
  Casamento é bom ou mau?
  O que a ciência sugere?

“Pessoas casadas vivem por mais tempo, diz estudo.
  Pesquisadores americanos sugerem que indivíduos solteiros durante a vida adulta têm o dobro de chance de morrer mais cedo do que os casados.” [Época]

   Do ponto de vista da expectativa de vida casar é bom.
   Quem tem certeza que bom casamento não existe está fazendo uma “aposta errada” ... segundo sugere a ciência atual.

  Acreditar em Deus/Espirito fez a humanidade se organizar melhor em sociedade.
  Sugere uma adaptação melhor, ou menos ruim que o ateísmo.

  Onde está o método científico nessa constatação?

  [O método científico refere-se a um aglomerado de regras básicas dos procedimentos que produzem o conhecimento científico, quer um novo conhecimento, quer uma correção (evolução) ou um aumento na área de incidência de conhecimentos anteriormente existentes.
  Na maioria das disciplinas científicas consiste em juntar evidências empíricas verificáveis - baseadas na observação sistemática e controlada, geralmente resultantes de experiências ou pesquisa de campo - e analisá-las com o uso da lógica.

    Para muitos autores, o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência.]

  No decorrer da história da humanidade inúmeras sociedades foram formadas e não temos notícia de nenhuma sociedade ateia que superasse as sociedades religiosas.
  Veja bem, fazemos um estudo amplo de história (pesquisa de campo), juntamos evidencias empíricas verificáveis e analisamos usando a lógica.
  Ateus simplesmente não tem bons resultados para apresentar.

  Quando falamos que nações marxistas como a URSS optaram por um Estado Ateu a maioria dos ateus não reconhecem como tal, dizem que Stalin era religioso.
  Se aceitamos esse argumento dos ateus o ateísmo se mostra mais frágil ainda.
  Desconsiderando as nações comunistas como representativas do ateísmo no poder então o ateísmo é tão ineficiente que nunca conseguiu se organizar em uma nação.

  E se considerarmos as nações comunistas como ateias?
  Comparadas com as nações de maioria teísta não se mostraram melhores.
  Como sabem eu defendo que a CULTURA de um povo tem mais influência em seu desempenho eficiente ou ineficiente do que a religião que pratica ou não pratica.
  Aqui no Brasil algo que atrapalha muito é a falta de planejamento e isso não é característica exclusiva de ateísmo ou teísmo.
  Outra coisa que atrapalha é a corrupção e impunidade, mais uma vez não tenho como atribuir isso a religiosidade ou falta dela.

  Eu acredito que o fato de ateus não terem constituído nações eficientes pode ser atribuído a opção deles pelo Comunismo.

  [NÃO, não estou dizendo que todo ateu é comunista/marxista, estou dizendo que comunistas preferiram um Estado Ateu, isso é um fato histórico incontestável.]

   Marx foi uma grande crítico das religiões e isso criou uma sintonia com ateus.

  Os povos mais religiosos desenvolveram uma certa antipatia pelo Marxismo justamente pelo excesso de critica as religiões.

  O fascinante é que a vida não é uma ciência exata.

  Religiosos Católicos desenvolveram a Teologia da Libertação que a grosso modo é o marxismo dentro da igreja.
  Veja o caso da Venezuela, é um povo sem dúvida religioso, mas optou pela Estatização da economia, uma das principais características do Comunismo/Socialismo/Bolivarismo.

  É o caso do Brasil, somos “nominalmente” a maior nação católica do planeta, mas aqui a Teologia da Libertação marcou profundamente nossa CULTURA, aqui a esquerda é hegemônica e nosso atraso em relação a uma Austrália ou Canadá tem mais a ver com nossa opção pela estatização desmedida da economia que por algum problema na colonização.
  
  Eu acredito que se ateus esquecerem Marx e abraçarem pensamentos de Direita o atraso histórico deles em relação aos espiritualistas será diminuído.
  Onde está o método cientifico nessa minha opinião?
  Eu olho para China.
  Como Estado ateu apresentava péssimos resultados.
  A China continua um Estado Ateu, mas bem mais tolerante com religiosos, paralelo a isso se abriu muito para o Capitalismo.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Senti necessidade de publicar esse texto, o passando na frente de outros, na tentativa de demonstrar porque filosoficamente combato mais a ideologia de esquerda que qualquer outra ideologia.

  O Marxismo/Socialismo/Bolivarismo atrasa igualmente teístas e ateístas.

  Se o indivíduo é ateu ou teísta ... é algo fruto de experiências pessoais que “no geral” afeta mais a vida do próprio indivíduo.
  Em nações Livres/Democráticas o cidadão não terá maiores problemas além de intermináveis discussões na Internet

  Entretanto se o cidadão defende ideais da Esquerda, defende o atraso, a ineficiência, defende ideias que cientificamente não deram certo e não tem nenhum fato novo que possa levar o Comunismo a funcionar como o “idealizado”.

  Se você é ateu e o pensamento espiritualista te incomoda ... não tem jeito, vai ter que conviver com isso, não tenho nenhuma palavra de alento para te dar.
  Mas entenda que atualmente o grande “mal” da humanidade, o que mais tolhe nosso progresso é o Marxismo e todas suas ramificações.

  Vejam o caso do Irã ou Arábia Saudita, são nações religiosas, mas com uma estatização absurda da economia.
  A figura do Aiatolá e do Rei NÃO são meramente decorativas como acontece na Inglaterra.
  Nas nações Teocráticas vemos uma intervenção máxima do Estado na Economia e nos direitos individuais do cidadão.

  Na Alemanha Nazista o Estado era Hitler.
  Em Cuba o Estado é Fidel.
  Na Venezuela o Estado era Chávez.
  No Irã o Estado é o Aiatolá Ruhollah Musavi Khomeini.
  Na Arábia Saudita é Salman bin Abdulaziz Al Saud.
  Na China o Estado é o Partido Comunista.
 
  Note que o Estado se personifica de várias formas, mas todas convergem para intervenção máxima.

  Como Livre Pensador minha opção é óbvia.
  Defendo nações Democráticas/Parlamentaristas/Capitalistas.
  A intervenção do Estado deve ser a mínima necessária cerca de 20%.

  Enquanto a prioridade de tantos é discutir o sexo dos anjos a minha preocupação é mais terrena é lutar por uma economia de Direita, cientificamente é a que nos traz melhores resultados.

  Ateus falham em apoiar as ideias de Marx só porque ele era crítico de religiões.





  Muito se fala da contribuição de Smith no campo econômico e menos se fala de seus pontos de vista religiosos e morais.
  Na obra Teoria dos sentimentos morais, Smith discutiu o papel da simpatia ao relacionar o auto-interesse com a virtude.
  Se é permitido ao livre mercado funcionar e às pessoas enriquecer, elas terão tempo de se preocupar com a situação angustiosa do indigente.
  Na sociedade primitiva, o foco primário do povo é a sobrevivência.
  Smith também demonstrou que o mercado promoveu virtudes, tais como, responsabilidade, honestidade, frugalidade, habilidade e auto-controle.
  Na busca pela aquisição de riqueza e poder, essas virtudes são necessárias para ser bem sucedido.
  Em épocas passadas, não havia tal mecanismo mercadológico de seleção ou incentivo para por em prática a virtude.
  Na época pré-comercial, escreveu Smith, os ricos e poderosos dependiam da fraude e do privilégio.
  Além do mercado, outras instituições, tais como a Igreja e a sociedade, apoiariam a virtude.
  Smith afirmou que a religião é uma expressão da necessidade de justiça e benevolência no mundo material que “reforça o senso de dever natural.” [Acton Institute]

  Adquira Conhecimento:

  Muitos acreditam que o Liberalismo Econômico (Teorias do Livre Mercado) surgiu em oposição ao Comunismo o que não corresponde à realidade histórica.
  Adam Smith morreu em 1790, Karl Marx nasceu em 1818.

  O que havia em 1750 na fase adulta de Adam Smith?

  Mercantilismo é o nome dado a um conjunto de práticas econômicas desenvolvido na Europa na Idade Moderna, entre o século XV e o final do século XVIII.
  O mercantilismo originou um conjunto de medidas econômicas diversas de acordo com os Estados.
   Caracterizou-se por uma forte intervenção do Estado na economia.
  Consistiu numa série de medidas tendentes a unificar o mercado interno e teve como finalidade a formação de fortes Estados-nacionais.
  É possível distinguir três modelos principais: balança comercial favorável, pacto colonial e protecionismo.
Segundo Hunt, o mercantilismo originou-se no período em que a Europa estava a passar por uma grave escassez de ouro e prata, não tendo, portanto, dinheiro suficiente para atender ao volume crescente do comércio.
  As políticas mercantilistas partilhavam a crença de que a riqueza de uma nação residia na acumulação de metais preciosos (ouro e prata), advogando que estes se atrairiam através do incremento das exportações e da restrição das importações (procura de uma balança comercial favorável).
  Essa crença é conhecida como bulionismo ou metalismo.
  O Estado desempenha um papel intervencionista na economia, implantando novas indústrias protegidas pelo aumento dos direitos alfandegários sobre as importações, (protecionismo), controlando os consumos internos de determinados produtos, melhorando as infra-estruturas e promovendo a colonização de novos territórios (monopólio), entendidos como forma de garantir o acesso a matérias-primas e o escoamento de produtos manufaturados.
  A forte regulamentação da economia pelo mercantilismo será contestada na segunda metade do século XVIII por François Quesnay. [Wikipédia]

  Notem que o pensamento corrente na humanidade seja na Monarquia ou na Republica era a intervenção máxima do Estado.

  O “pensamento novo” em nossa história é Adam Smith e suas ideias de Livre Mercado, intervenção mínima do Estado.
  Quando chamam defensores do Liberalismo de retrógrados ... não entendo porque!?
  Marx, Lenin, Stalin defendiam intervenção máxima do Estado tal qual os pensadores antigos.

Para terminar:

  Adam Smith tinha mania de conversar consigo mesmo, um hábito que começou durante sua infância, quando ele sorria na conversa extasiada com companheiros invisíveis.

  As ideias de Adam Smith saíram totalmente de sua mente ou teve contribuição de seres invisíveis...

  Talvez alguém possa insinuar que minha simpatia por Adam seja fruto da nossa demência tão semelhante.
  Eu mesmo não sei até que ponto os textos saem da minha mente ou se tem alguma ação invisível.

  Mas senhoras e senhores, desconsiderem a demência, apenas observem os resultados das experimentações históricas/cientificas.


  Loucos todos nós somos um pouco, vamos nos concentrar nas loucuras que dão certo é o mais próximo que podemos chegar da lucidez.... se ela realmente existe.


 Anterior          COMENTAR        Próximo 

sábado, 13 de agosto de 2016

Mulher do Lar

  “O passado não volta. Importantes são as continuidades e o perfeito conhecimento da história.”
  [Lina Bo Bardi]
  

__________________________________________________________________
  “Algumas mulheres lutaram muito para trabalhar fora, para terem o seu próprio dinheiro e com isso mais autonomia.
 [Comentarista no G+]
__________________________________________________________________     

 Todos nós lutamos por alguma coisa, individualmente ou em favor de algum grupo o qual pertencemos.

  Mulheres lutaram para trabalhar fora de casa?

  Antes entenda que esse texto não é para desvalorizar a luta de ninguém vou apenas lhes passar um contexto histórico.

   Com a revolução industrial o trabalho ficou menos pesado, mais mental e menos físico, claro que o “Capitalismo” estimulou o trabalho de mulheres e crianças.
   Não que isso não ocorresse antes, mas agora apertando botões e alavancas elas poderiam igualar a produtividade dos homens e até passar caso fossem talentosas.
  Se coloque no lugar de um empreendedor.
  Antes das máquinas o trabalho era muito pesado a preferência por homens era algo natural.
  A medida que a força física foi ficando menos exigida porque não contratar mulheres?

  A luta de algumas mulheres foi mais contra o protetoríssimo familiar.
  Pai, mãe, esposo que preferiam a mulher cuidando dos afazeres domésticos.
  Entretanto pobreza é algo que nunca faltou no mundo.
  Diante da possibilidade de mais um renda entrando na família a maioria capitula.
  Fica fácil deduzir que no geral as mulheres foram praticamente empurradas para o trabalho fora.
  A grande luta foi contra algum marido ciumento.

  Desde que me conheço por gente minha mãe trabalhou fora por necessidade mesmo.
  Minha irmã Jane com apenas 12 anos era a mulher da casa tomando conta de 4 menores.
  Quando olho para minha filha de 12 anos e lembro toda responsabilidade que minha irmã teve que assumir desde cedo ... lamentável.

  Quando eu tinha 10 anos meu pai já não morava mais conosco.
  Com 11 anos eu trabalhava na feira livre, era o homem da casa.

  Você acredita que eu e minha irmã “lutamos” para assumir responsabilidades?
  As responsabilidades nos foram impostas pela vida.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  O avança das mulheres no campo das profissões foram necessidades impostas pela vida.

  Não entendo porque tantos ignoram a História e transformam isso em uma grande luta das mulheres contra uma “sociedade opressora.” [Da qual elas raramente são menos de 50%]

  De certo muitas mulheres não queriam sair do papel de “dona de casa” para operaria, mas foram empurradas para essa situação.

  Até hoje vemos mulheres dando preferência para homens com posses.
  A responsabilidade de ser a principal provedora da casa ... pouquíssimas mulheres querem.
  As feministas transformaram o termo “mulher do lar” em um terrível palavrão.
  Muitas mulheres tem vergonha de dizer que não trabalham fora.
  Se sentem inferiores as mulheres que trabalham.
  Entretanto o que eu já encontrei de mulher satisfeita em cuidar dos filhos e da casa sem a pressão do mercado de trabalho, não é pouca gente não.
  Se o marido tem renda suficiente para manter a família na classe média é o que basta a mulher.

  Lembrei daquele seriado em que a protagonista não se sujeita a pressão no trabalho porque o marido tem dois empregos.

  Sem dúvida a mulher trabalhar para complementar a renda familiar é uma situação mais tranquila que ter a obrigação de ser a principal provedora.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

  As guerras “libertaram” as mulheres.

  Assim como muito homens foram obrigados a guerra, muitas mulheres foram obrigadas ao trabalho fora.

  Explico.
  Uma nação declarava guerra a outra e você acredita que todo homem se alistava para guerra feliz da vida em servir seu país!?
  Você é convocado e jogado no campo de batalha.
  A recusa o transforma em desertor e a pena pode ser a morte.
  Mesmo que você consiga não ir para o campo de batalha ... o campo de batalha vem até você.
  O que o pacato cidadão polonês poderia fazer diante do invasor soldado alemão?
  Lutar até morrer ou aceitar ser subjugado.

  Vejam números da Primeira Guerra:

  “A Primeira Guerra Mundial foi uma das guerras mais destrutivas da história moderna.
   Morreram quase dez milhões de soldados, um número que excedia, em muito, todas as perdas militares das guerras dos cem anos anteriores.
  Calcula-se que 21 milhões de homens foram feridos em combate.
  O grande número de perdas foi o resultado, em parte, da introdução de novos tipos de armas, tais como a metralhadora e o uso de gases letais em combate.
  Em 1º de julho de 1916, a data em que houve o maior número de baixas em um único dia, o exército britânico, apenas na area do rio Somme, perdeu cerca de 57.000 soldados.
  A Alemanha e a Rússia tiveram o maior número de baixas militares: cerca de 1.773.700 e 1.700.000, respectivamente.
  A França perdeu 16% de suas forças mobilizadas.
  Estudiosos estimam que cerca de 13.000.000 de não combatentes morreram como resultado direto ou indireto das hostilidades.
  A taxa de mortalidade no fim da Guerra aumentou ainda mais quando eclodiu a "Gripe Espanhola", a epidemia mais letal daquela moléstia em toda a história.” [Ushmm]

  Homens morrem feito moscas em todas as guerras, mas na primeira e na segunda grande guerra a mortandade masculina atingiu seu ápice.
  Sem homens para trabalhar a mão de obra disponível para fabricas eram as mulheres.

  Se homem não trabalha é chamado de vagabundo, se mulher não trabalha é do lar.

  Se homem não luta na guerra é covarde, desertor.
  Se a mulher não luta na guerra ... normal, é o sexo frágil.

  Quando estudamos Historia vemos que a vida tem um roteiro muito complexo o qual não permite definirmos com certeza o que é bom ou mau, amigo ou inimigo.
  As guerras eram desnecessárias?
  Como você convenceria Gengis Khan a não invadir e dominar seu povo?
  Hitler desistiria pelo dialogo de difundir a superioridade da raça ariana?

  “Em tempo de paz convém ao homem serenidade e humildade; mas quando estoura a guerra deve agir como um tigre!”
[William Shakespeare]


  E estar consciente que agir como tigre dificulta, mas não impede que morra como mosca.




sábado, 6 de agosto de 2016

República das Bananas

  Regime Militar, coisas que você precisa saber.

Adquira Conhecimento: 

  Comunismo é uma doutrina social, segundo a qual se pode e deve "restabelecer" o que se chama "estado natural", em que todos teriam o mesmo direito a tudo, mediante a abolição da propriedade privada.

  O comunismo moderno se exprime primeiramente como uma doutrina através do marxismo, depois no marxismo-leninismo e, em parte, também no maoísmo marxista e é fundamentalmente uma doutrina destinada à igualdade compulsiva da maioria.

  Muitos autores a favor do comunismo descrevem o socialismo como uma etapa para se chegar ao comunismo, que organizaria a sociedade de forma diferente, eliminando as classes sociais e extinguindo o Estado opressor.

   A forma de atuação do comunismo e do socialismo também é diferente.
   Enquanto o socialismo prevê uma mudança gradual da sociedade e um afastamento do capitalismo, o comunismo pretendia uma diferenciação mais brusca e muitas vezes usando o conflito armado como método de atuação.

  Segundo a doutrina Comunista, o último ponto culminante da luta de classes é a luta da classe proletária contra a burguesia.
  Esta luta levará ao fim da sociedade burguesa, ao desaparecimento das classes e à sua substituição por uma sociedade socialista ou comunista.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Há diferenças sutis entre Comunismo e Socialismo, mas sem dúvida eles se apresentam como alternativa ao Capitalismo/Liberalismo.

  Logo, o entendimento contemporâneo do que seja Esquerda e Direita é bem claro, não deixe que malabarismos argumentativos os confundam.
  Mais uma vez...

  Esquerda Comunismo/Socialismo, estatização da economia.

  Direita Capitalismo/Liberalismo, privatização da economia.

  Se você prestou atenção no início do texto, entendeu que o Socialismo é um rito de passagem para o Comunismo.
  O Socialismo vai gradualmente concentrando toda propriedade nas mãos do Estado.
  Entenda isso como controle sobre a imprensa/mídia, indústria, comércio e agricultura.
  Quando o Estado estiver dono e senhor de tudo (segundo os Comunistas) ele deve ser abolido, a essa altura nós humanos já teremos reaprendido a viver como no passado distante quando éramos índios vivendo em coletividade nossa “constituição” será o “amor ao próximo”.

  Não, nenhum Comunista nunca conseguiu me explicar como um Estado Fortíssimo um belo dia nos fará virarmos anjos...
  Sim, porque sermos índios não é o suficiente, lembremos que as diversas tribos guerreavam entre si.
  Os índios defendiam seu território e o que é o território senão uma propriedade?
  Um pedaço de terra que determinada tribo se sentia dona.

  Mas vamos ao que interessa nessa meditação.
  O Regime Militar principalmente nos primeiros 10 anos estabeleceu uma forte censura na imprensa/mídia.
  Assim como Hitler, Mussoline, Pinochet ... os militares não estatizaram todas a empresas de comunicações, mas a submeteram a um funcionamento por concessão.
  Se você não aceitasse a censura do Governo ele tirava a sua concessão de funcionamento e a dava a alguém alinhado.
 
  Com a indústria e agricultura foi basicamente a mesma coisa, o Governo disponibiliza vantajosas linhas de credito apenas para os empreendedores amigos, alinhados com o Governo.

  No entanto em setores mais “lucrativos” os Militares não queriam dividir o comando com ninguém nem por concessão e assim desenvolveram cerca de 500 estatais.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
 “O governo militar brasileiro foi um governo socialista?!
  Então Dilma, Dirceu, Genoíno e todos esses eram de direita?
  Jango também era direita?”
[Comentarista no G+]
__________________________________________________________________     
  Muitos consideram o regime militar de Direita só porque combateu comunistas.
   Os militares venceram, se eram de Direita porque não aplicaram o Liberalismo Econômico?
  Fica claro que cada um dos lados queria sua própria ditadura com intervenção máxima do Estado na economia e na vida do cidadão.

  Vejam o caso no Oriente Médio
  Xiitas e Sunitas lutam entre si, se Xiitas vencem acontece um Estado Islâmico se Sunitas vencem ... acontece um Estado Islâmico.

____________________________________________________
 “O Regime Militar acabou pela força popular, pelas bombas do Rio Centro, pela denúncia de crimes pelo mundo, etc. “
[Comentarista no G+]
__________________________________________________________________     
   Na década de 70 havia muitos países em Regime Militar, o Brasil era apenas mais um.
  Países na América Latina submetidos a alguma ditadura eram chamados de Repúblicas das Bananas.
  De certo havia alguma crítica no mundo em alguns países, mas não uma grande pressão insuportável para os militares.
  Lembremos que o Oriente Médio, África, Leste Europeu eram dominados por ditaduras.
  Na Espanha teve o “Franquismo” até 1977.
  Dizer que o Regime Militar no Brasil acabou por uma forte pressão internacional ... não corresponde a realidade.

  E o caso Riocentro?

  A bomba no Riocentro aconteceu em 1981, matou apenas um militar desastrado.

  “Na ocasião o governo culpou radicais da esquerda pelo atentado.
  Essa hipótese já não tinha sustentação na época e atualmente já se comprovou, inclusive por confissão, que o atentado no Rio centro foi uma tentativa de setores mais radicais do governo (principalmente do CIE e o SNI) de convencer os setores mais moderados do governo de que era necessária uma nova onda de repressão de modo a paralisar a lenta abertura política que estava em andamento.” [Wikipédia]

  Vejam que a ala MODERADA do regime militar era predominante na década de 80.
  Figueiredo estava nos conduzindo para o Governo Civil.

  O regime militar aqui no Brasil foi Light.
  Era permitido votar por exemplo.
  Você só não votava para Governador e Presidente, lembro que meu pai gostava do Orestes Quércia e Lauro Péricles.

  Há dois momentos importantes para “redemocratização”.

1 - Em 1974 (Governo Geisel), os militares permitem a propaganda eleitoral gratuita na televisão e no rádio e um partido de oposição.
  O Movimento Democrático Brasileiro (MDB)

2 - Em 15 de março de 1979, Figueiredo, o último dos generais no poder, assume a Presidência da República (1979-1985).

  João Figueiredo jurou fazer do Brasil uma Democracia.

  Ficou famoso pela sua frase, ao ser questionado sobre a abertura política:

 "É pra abrir mesmo. Quem não quiser que abra, eu prendo e arrebento!"

  Em 28 de agosto de 1979 é sancionada a lei 6683, que concede Anistia aos cassados pelo regime militar.
  A lei também concedia anistia aos membros do governo acusados de tortura.

  Vejam que Figueiredo tinha o firme propósito de restaurar a Democracia.
  Não tinha nenhuma força nacional ou estrangeira capaz de tirar Figueiredo do poder caso ele não quisesse sair.
  Ele poderia tranquilamente ficar mais 5 anos e deixar possíveis mudanças para o próximo general.

  E aqui chegamos a mais um ponto interessante que mostra que os militares brasileiros NÃO tinham nenhuma simpatia pelo liberalismo/capitalismo.

  A maior pressão que os militares sofriam era financeira, a dívida externa só fazia crescer, estávamos caminhando para um grande calote.
  Mais uma vez a estatização da economia não deu certo.

  Nossos militares podiam como Pinochet ou Deng Xiaoping abrir mais a economia tomar medidas que nos aproximasse das teorias de livre mercado.
  Mas não, preferiram devolver o país aos civis que aplicar qualquer medida de Direita.
  O problema é que os esquerdistas anistiados voltaram como heróis e fizeram uma Constituição onde o Estado deve ser provedor de tudo.
  O Liberalismo Econômico nunca deu as caras no Brasil, nunca teve chance...
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Em cálculos atualizados o regime militar deixou para os governos civis uma dívida de mais de 1 trilhão.
 
  Sabem porque o governo militar quebrou?

  Estatizou demais a economia, isso não dá certo por muito tempo.

   “Foi durante o regime militar (1964-1985) que a estatização da economia experimentou seu maior incremento, com a criação pelos governos federal e estaduais de um grande número de empresas estatais, que, por sua vez, criavam subsidiárias.
   Isso tornava difícil até quantificar seu número exato, sendo certo que se aproximavam de 500.” [Repense]

  O rombo financeiro foi tão grande que Sarney teve que decretar moratória.
  Sarney também detestava o livre mercado tanto que decretou um catastrófico congelamento de preços.
  Mais intervenção do Estado na economia é quase impossível.

  Collor “abriu nossos portos”, facilitou a importação, foi a única medida de Livre Mercado que tomou, por outro lado confiscou a poupança algo tão grave para um capitalista quanto o congelamento de preços.

  Fernando Henrique ao privatizar algumas empresas trouxe um tímido liberalismo que foi suficiente para dar algum impulso à economia, mas depois veio o PT e colocou tudo a perder.

 Apesar de tudo em termos de Democracia estamos bem.
 Quem sabe agora longe da influência dos militares e dos esquerdistas históricos [que já morreram ou estão bem velhos] o pensamento de Direita tenha chances reais de predominar e nos levar a ser uma nação desenvolvida.


  Espero que sim, espero que sim...



Anterior          COMENTAR        Próximo