sábado, 29 de outubro de 2016

Populismo Fiscal, Deficiência Mental

  Comissão aprova projeto que permite deduzir academia e nutricionista do Imposto de Renda.
  A mudança foi proposta pelo ex-senador EDUARDO LOPES (PRB-RJ), e agora segue para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde receberá decisão terminativa (com valor de decisão do Senado).
  A emenda de ROMÁRIO estende a possibilidade de desconto a todas as pessoas que pagam profissional de educação física, clínicas ou academias de atividades físicas, sem necessidade de comprovar indicação médica.

  Nesse momento de grandes mudanças esse texto pretende mostrar a você a qualidade duvidosa dos políticos que elegemos e que boas intenções não justificam uma lei.

  BOAS INTENÇÕES PODEM TRANSFORMAR NOSSAS VIDAS EM UM INFERNO.

  É interessante que antes de prosseguir a leitura você se posicione contra ou a favor poder abater gastos com atividades físicas do Imposto de Renda.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
 “Me desculpe (William) mas para mim qualquer redução em qualquer carga tributária em nosso país deve ser celebrada.”
[Comentarista no Face]
▬▬▬▬▬▬
  Como se não bastasse os empréstimos “seletivos/amigos” do BNDES; a diminuição dos impostos da indústria automotiva que já tem uma margem de lucro maior no Brasil; a isenção de igrejas ... agora me aparece mais essa, redução de impostos para frequentadores de academia!

  Não tenho o que celebrar.
  Lamento profundamente.
  Nosso Governo e todos seus representantes interferem na economia das maneiras mais atrapalhadas possíveis e imagináveis.
  Romário dispensa apresentação, foi um grande jogador de futebol e os cariocas decidiram que isso o qualifica para a Congresso Nacional.
  Eduardo Lopes foi ministro da Pesca no Governo Dilma, outro parlamentar eleito pelos cariocas.
  Essa lei tem um apelo emocional muito grande e um efeito racional catastrófico.
____________________________________________________________________
   “Gastos com atividades físicas são medidas preventivas para uma boa saúde, portanto quem faz esse gasto acaba por gerar uma boa economia para os cofres públicos, já que usará pouco postos e hospitais públicos devido a sua boa saúde, então acho justo a dedução. ” 
[Comentarista no G+]
____________________________________________________________________

  É A VELHA HISTÓRIA DO ESTADO PAIZÃO, LATINOS ADORAM ESSA DISTORÇÃO.

  Eu sei que é importante fazer exercícios e faço.
  SOU ADULTO.
  Não preciso de um Estado baba dando incentivos “fiscais”.

  O argumento do comentarista pode ser expandido para inúmeras distorções.
  Sabemos que vinho é bom para o coração, que tal reduzirmos os impostos dos vinhos? Ou deduzir no Imposto de Renda?
  Andar de bicicleta é bom, isentemos de impostos as bicicletas.
  Agulhas contaminadas transmitem HIV, vamos distribuir agulhas aos viciados, paguemos com o dinheiro dos impostos.
  Ler livros é muito importante, vamos reduzir os impostos, ou deduzir do IR como despesas com educação.
  Uma grande indústria “gera muitos empregos”, vamos dar isenção de ICMS por 20 anos.
  E por aí vai...

  “É comum um(a) traficante quando é preso dizer que tem um filho pequeno para sustentar.
  Sim senhoras e senhores, todos nós precisamos nos sustentar, mas por vezes o nobre e necessário fim não justifica o meio empregado.
  Pensem nisto quando o melhor argumento que alguém tiver para justificar uma atividade econômica for a "geração de empregos".”

  Adam Smith já dizia: NÃO EXISTE ALMOÇO GRÁTIS.

  Alguém sempre paga e tenha certeza que não sai do salário dos Governantes.

  Quanto sairá do salário do Romário?
  Nada, enquanto ele for parlamentar o próprio salário é pago pelos impostos.
   Ele fica bonito na cena dando benefícios com o dinheiro dos pagadores de impostos.

  Humm ... você não percebe a distorção dessa lei!?

  Vou “desenhar” vamos a uma ilustração.

  Se você recebeu mais de 28 mil reais durante o ano todo você paga IR (Imposto de Renda)
  28.000 dividido por 12 meses = 2300 por mês.
  [Simplificando ao máximo para que o máximo de pessoas possam entender.]

  Isso quer dizer que se você ganha mais de 2.300 por mês tem descontado em seu salário o IR.

  [Vou colocar números redondos e uma tabela “imaginada”, o importante é você entender a sistemática, dados técnicos mudam a cada ano se estiver interessado pesquise.]

  Até uns 5 mil reais por mês o Governo desconta muito mais imposto do que você deve por lei.
  Então quando você faz a declaração e envia para Receita Federal, eles verificam tudo que COBRARAM A MAIS de você e devolvem a diferença.
  Não, não é palhaçada pelo menos da minha parte...
  Vamos dizer que o Governo descontou do seu salário durante o ano todo 2.200 reais.
  Mas você deveria ter pago “apenas” 1500.
  Quase um ano depois (se tudo der certo) você recebe a restituição de 700 reais, fique tranquilo, tem juros de caderneta de poupança que felicidade hein!

  Se você ganha mais de 5 mil por mês o Governo desconta do seu salário mensal menos do que permite a lei.
  Quando você manda sua declaração, à Receita percebe que descontou de você “apenas” 4 mil reais.
  Mas por lei ela deveria ter descontado 7 mil.
  A Receita te “convida” a pagar os 3 mil.
  Entretanto desses 3 mil você pode deduzir gastos com saúde, educação ... e segundo a proposta dos Senadores Romário e Eduardo Lopes poderá deduzir gastos com atividades físicas.

 Fica claríssimo que é uma proposta MONSTRUOSA.

 Entenda:
  Se eu ganho 2 mil reais por mês e quiser frequentar uma academia de musculação que custe 200 reais por mês:

  Vou ter que pagar 200 reais, 10% do meu salário.

  Se você ganha 10 mil e frequentar a mesma academia, vai pagar 200 reais por mês, 2% do seu salário.
  Com uma monstruosa diferença.
  Você poderá deduzir esse gasto no Imposto de Renda!!!

  A grande maioria da população ganha menos de 5 mil reais por mês, vamos dar incentivos fiscais para fazer exercícios apenas para uma minoria!!!
  [O excesso de exclamações é para não escrever palavrões]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Qualquer tipo de isenção fiscal seja para pessoa física ou jurídica deve ser pensada com extrema cautela.

  A princípio nenhuma isenção deve acontecer, mas se tiver um argumento muito justificado ... toleramos.
  O mesmo serve barra subsídios.

  Não considero a necessidade de fazer exercícios físicos um bom argumento para dedução de impostos.

  O indivíduo tem que ser consciente dos benefícios que exercícios podem lhe trazer.
  Quem tem essa consciência faz exercícios quem não tem não faz.
  Não é a redução de 20% em uma mensalidade que vai fazer um sedentário largar o sedentarismo.

  Eu não pago nada para fazer caminhada.
  Aqui em Campinas há praças com equipamentos gratuitos e é subutilizada.
  Se a pessoa pode fazer exercícios de graça e não faz porque faria pagando?

  No final será só uma perda de receita a mais em favor de um segmento empresarial e estelionatários de todo tipo.
  O indivíduo se matricula na academia, não vai um dia, mas deduz no imposto de renda.

  Enfim, projetos de lei são coisas muito sérias porque podem virar leis.
  Você elege gente com a visão curta, que propõe leis que só aumentam a distorção na economia.
  Um inferno de boas intenções.

  Com se não bastasse, se acha o projeto “bonito” esquece números, projeções, implicações, não pesquisa/debate informações.
  Romário está convicto que apresentou um projeto brilhante...

  “Estamos cercados de convicções fantasiosas apenas porque o cidadão teve preguiça de pesquisar as informações e nós de conferir.”
[William Robson]




Quem paga o SUS?



Anterior          COMENTAR        Próximo 

sábado, 22 de outubro de 2016

Ética dos Outros

  Você acreditar que o mundo tem que girar em torno de você porque está doente é a emoção dando a última palavra.
  A sabedoria está há milhas, e milhas, e milhas da sua mente ... isso geralmente se traduz na intensificação da dor e do sofrimento, decepção e depressão. 

  A grande maioria dos trabalhadores nunca esteve em um cargo de chefia, nem foi dono de alguma empresa.
  Como eu passei por essas situações gosto de passar para as pessoas como é estar “do outro lado”, “não ser do povo”. 😱!

  “Transformaram o conceito de ‘povo’ em algo tão subjetivo quanto fizeram com o conceito ‘Sistema’.
  Lendo os comentários na Internet fico sem saber o que é povo.
  Militar não é povo.
  Empresário e filho de empresário não é povo.
  Líderes religiosos não são povo.
  Políticos não são povo.
  Classe média não é povo...para o Governo do PT qualquer família que tem renda per capita acima de 300 reais é classe média.
  Minha família tem 4 membros, eu, minha esposa e nossas duas filhas, quer dizer que se eu e minha esposa juntos ganharmos 1200 reais...somos da classe média!!
  Notem que pelo que lemos na Internet e em outras mídias, para ser “povo” você tem que ser muito pobre ou viver na miséria.”
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  O que você acha de uma pessoa que cobra um procedimento ético que ela mesma não pratica?

  Nos casos de doença e morte os funcionários (sem generalizações) querem uma consideração que eles mesmo não tem.
  Para entender esse texto a primeira coisa é você parar de ver empresas como alguma entidade pessoal.
  A empresa que eu fui encarregado chamava Seline, não existe e nem existiu nenhuma entidade pessoal chamada Seline andando por aí.
  Empresas são pessoas jurídicas.
  O que quer dizer isso?
  A grosso modo é uma entidade que só existe no papel, isso facilita a cobrança de impostos por parte da Receita e as regulamentações por parte do poder público.
 Pessoas físicas respondem por essa empresa, no caso meu patrão e seu sócio.
 Abaixo dos sócios proprietários somos todos funcionários.
 As decisões do dia a dia são tomadas pela chefia/gerência/diretoria enfim, SÃO PESSOAS LIDANDO COM PESSOAS.

 Tudo isso é muito óbvio.
 Não entendo como algo tão trivial sofre uma inacreditável mutação na mente das pessoas.
 Vou dar exemplos que de certo quem trabalha vai reconhecer.

  O cidadão traz um atestado médico de 7 dias e nem está tão doente.
  Ele quase comemora como se fosse uma vitória contra a empresa opressora.

  Voltando um pouco no tempo...
  Eu na posição de encarregado solicitei um empregado para determinado setor, meu patrão me atendeu.
  Alguém precisando de emprego quase me implorou para contrata-lo, falando de todas as suas qualidades possíveis e imagináveis e me dizendo o quanto seria útil para empresa.
  Eu o escolhi e dispensei outros candidatos à vaga.
  Agora o cara me traz um atestado de 7 dias.
  Se realmente está doente a ponto de não poder trabalhar por 1 semana é lamentável, mas fazer o que, ninguém escolhe ficar doente.
  A ausência desse funcionário vai prejudicar seus companheiros de setor, vai sobrecarrega-los com mais serviço.
  Esse cidadão está comemorando o quê?
  A doença ou o transtorno provocado aos demais funcionários!

  Na mente dele tem um pensamento infantil.
  Vai ganhar sem trabalhar.
  Ficará em casa e a dona Seline vai ter que pagar.
  É o “direito” dele.

  Vamos para o “outro lado”.
  A não ser em caso de fraude/crime nenhum empresário quer ir a falência (que a empresa fique doente).
  Mas falências acontecem e trabalhadores acabam ficando sem direitos e salários.
  Por isso em caso de falência os trabalhadores tem a prioridade na distribuição de recursos.
  Isso está previsto em lei e acredito que todos consideramos ÉTICO.
  Se o empresário tentou de todas as formas, mas a empresa está indo a bancarrota, antes que a desgraça total ocorra é de boa índole separar os recursos que garantirão o pagamento de todos os direitos trabalhistas.
  Já pensou se o empresário agir como o funcionário que consegue trabalhar, mas mete um atestado?
  O empresário pode pagar os direitos trabalhistas entretanto prefere cuidar apenas dos seus próprios interesses.
  Separa o que consegue guardar para si e se os funcionários quiserem alguma coisa que acionem a justiça.

  Fica claro que podemos ser éticos ou antiéticos em qualquer posição social.

  Eu sei que ética, moral, bons costumes são terrenos pantanosos, mas também sei que certas situações não dão muita margem a dúvidas.
  Roubar, mentir, assassinar, corrupção, se permitir uma vantagem indevida ... não são éticos.

  Vamos para um terreno mais escorregadio

 😡 “Meu pai faleceu no dia 13-01-12, não trabalhei dias 13, 14 e 15.
   Voltei a trabalhar dia 16-02 e a empresa quer me descontar a quarta-feira mais o descanso remunerado está correto isso?

👩 Artigo 473, inciso I, da CLT:
 "até 2 (dois) dias consecutivos, em caso de falecimento do cônjuge, ascendente, descendente, irmão ou pessoa que, declarada em sua Carteira de Trabalho e Previdência Social, viva sob sua dependência econômica;"
  Mas, a maioria das Convenções Coletivas amplia esses dias para 3, ou até mais, por isso é preciso que cada trabalhador tenha uma cópia da Convenção Coletiva em que se enquadra, que pode ser obtida junto ao Sindicato correspondente.
 
  É comum o funcionário considerar sacanagem, falta de consideração da empresa o desconto de dias por motivo do falecimento de algum parente querido.
  Na mente do cidadão vem aqueles chavões.

😭 “Só pensam em dinheiro, não tem a mínima consideração.”

😭 “Eu trabalho aqui há tantos anos e é isso que eu recebo.”

  Vamos ficar apenas nessas duas frases.
  Na posição de encarregado, diante dessas reclamações do funcionário eu ficava em silêncio, em respeito à sua dor.
  Fazia aquela cara de chateado e ouvia o desabafo do cidadão.

  O que passava em minha mente?

  Caraca mano!
  Sua mãe morreu (amigo ou parente querido) você sabia que eram 2 dias de licença é isso que te garante a CLT.
  Se você ficou mais dias em casa, em nome do que a empresa tinha que te pagar!?
  Você só pensa em dinheiro em um momento de dor desse?
  A MÃE É SUA, não é minha ou do meu patrão.
  Se para você sua mãe não vale a perda de alguns reais porque para eu deveria valer!?

  Você está aqui a tantos anos, sabe de quanto precisamos do seu trabalho, e se ausenta mais do que a lei te permite!
  Que falta de consideração!

  Percebem?
  A pessoa cobra uma “ética”, uma “consideração”, um “desapego ao dinheiro” que ela mesma não demonstra.

  Foi nesse tipo de situação que me veio um pensamento:

  “Acho surreal o indivíduo esperar que outro humano seja muito melhor do que o próprio individuo é.”
  [William Robson]

  Tem coisas que só dá para esperar de Deus...


Nenhuma “entidade pessoal” vai segurar esse B.O.  


  Preciso encerrar esse texto com outra obviedade, nem acredito que seja preciso deixar registrado.
  Você pode ser simpatizante do anarquismo, capitalismo, socialismo, comunismo, cristianismo, liberalismo, budismo, islamismo, ateísmo, agnosticismo ... não importa o ismo.

  É sempre PESSOAS LIDANDO COM PESSOAS.

  As decisões, atitudes, programação das maquinas ... pessoas, pessoas, pessoas.

  Bondade, maldade, honestidade, desonestidade, burrice, inteligência ... não vem de partidos, empresas, instituições, vem de PESSOAS.

  A prioridade é sempre punir ou elogiar INDIVÍDUOS.
  Um policial não pode representar toda a polícia (para o bem ou para o mal).
  Um pastor ou padre não pode representar todos os religiosos.
  Um político não pode representar todo um partido.

  A sociedade é constituída de indivíduos.
  Quanto mais elevada a qualidade moral de cada um, mais elevada é a qualidade moral do todo.
  Minha pergunta é óbvia:

  Você está fazendo a parte que lhe cabe tentando ser melhor ou apenas fica cobrando que o outro seja melhor?




sábado, 15 de outubro de 2016

Forças Irmãs



_____________________________________________________
  “Quem lembra desse casal?
  Fernandinho e Ofélia do Zorra Total.
  Hoje, depois de levar tantas risadas e alegrias ao público brasileiro, estão doentes e abandonados pela Globo.
   Isso a Globo não mostra.
   Isso me faz refletir e aprender que, NÓS, só prestamos quando temos algo a oferecer.”
  [Post no Face]
______________________________________________________

  O que a Globo deveria fazer!?

  Lúcio Mauro, aos 89 anos, se recupera de derrame.
  Estado estável.

  Claudia Rodrigues (45 anos) convive com as sequelas da cirurgia de transplante de células-tronco, a qual foi submetida há pouco mais de seis meses para tratar uma esclerose múltipla.

  Eles trabalharam na Globo, receberam seus salários.
  Lucio Mauro tem idade para se aposentar, porque foi ator da Globo merece algum benefício extra!?
  Claudia tem uma doença genética rara, pode se aposentar por invalidez.
  A Globo é uma empresa com fins lucrativos.
  Não é ONG, não é asilo, não é hospital.

  Eu assinei um contrato com a Unicamp, trabalho eles me pagam.
  Se eu ficar doente que compromisso profissional a empresa tem comigo além dos previstos em lei?

  Nos compadecemos de todos que estão doentes ou à beira da morte isso é natural, mexe com nossos sentimentos.
  Somos seres emocionais, apenas lembre-se que também somos seres racionais.
 Geralmente a razão torna nossa vida mais eficiente e a emoção torna nossa vida mais prazerosa (ou não).
  É evidente que razão e emoção não são forças opostas.
  Vamos dizer que são “forças irmãs”.
  Essa comparação é muito boa.
  Irmãs estão unidas pelo DNA, pelos “laços de sangue”.
  Razão e emoção são partes intrínsecas de nós.
  Mesmo a mente mais emotiva tem momentos de racionalidade.
  Mesmo a mente mais calculista se emociona por algo.

  NOSSO DESAFIO DE SABEDORIA é fazer com que essas forças irmãs sejam harmônicas e não deixar que elas fiquem brigando feito “cão e gato.”
  Hoje em dia até cães e gatos vivem em harmonia, eles parecem ser “inimigos” só nos desenhos.
  Se cães e gatos ficaram mais civilizados, nossa emoção e razão também podem ficar, pensamento positivo ...

  Embora a emoção seja a irmã mais velha a caçula razão deve ter a última palavra, é o mais sábio a fazer.
  Isso é bem fácil de escrever e de entender, mas colocar em pratica...

  Vamos audaciosamente onde nenhuma mente jamais esteve.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Assim que nascemos uma certeza temos.
  Vamos morrer.

  Reduzindo ao mínimo denominador comum, morremos de duas maneiras.
  Um dano físico muito grave [queda, batida, facada, tiro, afogamento] ou complicação de alguma doença.
  Vamos falar de doença.
____________________________________________________
  “DOENÇA é um conjunto de sinais e sintomas específicos que afetam um ser vivo, alterando o seu estado normal de saúde.
   O vocábulo é de origem latina, em que “dolentia” significa “dor, padecimento”.
____________________________________________________

  Quando as pessoas adoecem elas emocionalmente querem um tratamento especial por parte de todos a sua volta.
  É algo que me foge à razão.

  A pessoa quer um tratamento melhor por estar em mau funcionamento!?

  Quando estou doente a única coisa que espero das pessoas e que sejam mais tolerantes com minhas falhas, eu tento dar o melhor de mim, mas com alguma dor ou indisposição meu rendimento é menor.

  Mas você deve conhecer aquele tipo de pessoa que ao ficar doente espera que façamos tudo por ela.
  Sei lá, na família isso é normal, compreensível, mas no trabalho, a não ser que você tenha um laço de amizade muito grande ... é complicado.
  Claro que ninguém se nega a trabalhar um pouco  mais caso um colega esteja naquele dia mal de saúde.
  Mas e se o colega está sempre com problema?
  Você vai ficar sempre se desdobrando para compensar a menor produtividade do companheiro?
  Racionalmente não é justo e emocionalmente é?
  Essas irmãs conseguem chegar a um acordo?

  Vou pegar um caso bem do passado para não ter problemas emocionais com outros, é a minha razão dando a última palavra.
  A emoção quer lavar toda a roupa suja aqui e agora

  Na empresa de armações de óculos tinha o setor de polimento.
  O serviço basicamente era sentar de frente para um motor com feltro ou pano e dar lustro nas peças.
  Uma funcionária contratada para aquele setor começou a reclamar de constantes dores nas costas.

  [Nos 3 meses de experiência ela foi muito bem, não reclamou de nada, tudo estava ótimo, agradecia pela oportunidade de emprego.]

  Por conta das dores ela trazia atestados longos e mesmo quando ia trabalhar parava diversas vezes.
  Embora a empresa fosse pequena e não tivesse muita disponibilidade de funções eu cheguei a pensar em trocar ela de setor, desisti por dois motivos.
  Conversei com ela sobre a possibilidade de mudar de setor e ela disse que gostava do polimento.
  Embora nova (tinha uns 22 anos) disse que em qualquer outro setor a dor seria a mesma.
  Minha dedução foi lógica.

  A garota tinha algum problema na coluna e todos sabemos quanto esse tipo de dor é difícil de tratar.

  Naquela altura ela já tinha uns 8 meses de empresa, o serviço de polimento não era tão pesado a ponto de ferrar a coluna dela em tão pouco tempo.
  Trabalhava sentada e armações de óculos são leves.

  Nessa conversa ela também manifestou uma profunda insatisfação com o salário!
  Na equipe ela produzia menos, ganhava a mesma coisa, mas achava que merecia ganhar mais!
  Ela deveria ganhar mais (ser tratada melhor) porque tinha o sacrifício da dor!?

  Oras, só me restou uma coisa a fazer, demiti-la o mais rápido possível.
  Eu como encarregado representava a empresa, o que deveria fazer?

  É nessa parte da demissão e salários que chamam empresas e empresários de monstros exploradores.

  Mas entenda que quando você é demitido não é a empresa que te demite é seu chefe.
  Já escrevi várias vezes que não tem uma dona Samsung, Sony, Bosch andando por aí como alguma entidade.
  São encarregados, chefes, diretores que decidem se você continua ou não na empresa.

  Eu fui monstro em demitir a garota?

  Porque?
  Fiquei triste ao perceber seu problema de coluna, mas ela produzia bem menos que os outros funcionários, a equipe tinha que segurar esse rojão em nome do que?

  E como se não bastasse ela era tão sem noção que em uma situação dessa ainda se achava injustiçada salarialmente.
  Caraca, eu não era pai, irmão, namorado, amante, amigo de infância ... enfim não tinha nenhuma ligação emocional mais forte que ao menos “nublasse” minha razão.

  Senti muito pelo problema de saúde dela, mas a empresa não era ONG sem fins lucrativos.
  O que ela racionalmente deveria fazer era parar com paliativos e buscar uma solução efetiva para o problema da coluna.

  Meu patrão nem pensava em demiti-la, se você quer sentir nojo de alguém ... esse cara sou eu. 😩
  Ele detestava demitir pessoas.
  Nossos momentos mais tristes eram justamente quando por falta de vendas tínhamos que enxugar o quadro de funcionários.
  Nós contratávamos só quando as coisas melhoravam razoavelmente, justamente para não ter que demitir depois.

  Fiz uma reunião com ele e fui bem franco na minha análise sobre a garota.
  Em firma pequena cada um que se ausenta faz uma falta terrível.
  O problema de saúde da garota era de difícil solução.
[Não, não era fingimento. A não ser que ela fosse uma ótima atriz, seu desconforto era real.]
  O fato é que o setor de polimento iria ficar com a equipe sobrecarregada e produzindo abaixo da capacidade enquanto aquela funcionaria estivesse ali.
  A razão falou mais alto e demitimos a garota.

  Sempre que eu demiti alguém fiz questão de dar uma explicação “possível” porque a pessoa estava sendo demitida.
 [Nem sempre é possível falar toda verdade, seja para não ofender/humilhar a pessoa, seja para proteger legalmente a empresa]
  Nesse caso a explicação possível foi “mais ou menos” assim, já faz muito tempo:

  “Eu não tenho nenhuma vaga na empresa para o setor administrativo e na linha de produção não temos nenhuma função que não seja repetitiva.
  Eu sinceramente acho que você não tem a melhor das colunas, veja que as outras funcionárias fazem o mesmo serviço numa boa, acontece o cansaço, mas não a dor física.
  Eu estou te demitindo, fique tranquila, você vai receber tudo que lhe é devido.
  Eu aconselho a você duas coisas.
  Fazer exames mais detalhados sobre sua coluna, quem sabe não está desenvolvendo alguma hérnia e quanto mais cedo você detectar melhor para corrigir.
  A outra é procurar um emprego não repetitivo onde você tenha liberdade para sentar ou levantar a hora que bem entender.
  No comércio isso é mais possível que na indústria.
  Você é muito legal, muito trabalhadora, em uma outra situação será bem vinda de volta a empresa.
  Você vai receber todo seu fundo de garantia e tem direito ao seguro desemprego, juízo.”

 [Eu sempre terminava falando dos benefícios, dinheiro sempre anima as pessoas, ganhar sem trabalhar anima ainda mais.]
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  A grande maioria dos trabalhadores nunca esteve em um cargo de chefia, nem foi dono de alguma empresa.

  Como a maioria não tem essa experiência a noção generalizada é que toda empresa por menor que seja é podre de rica, tem dinheiro para pagar excelentes salários e ótimas condições de trabalho, só não faz isso por ganância do patrão.

  O chefe é sempre um carrasco, babaca e puxa saco.

  Eu sei porque na minha adolescência pensava assim.
  Meu primeiro emprego foi em uma banca de feira.
  Na minha cabeça o Wagner tinha muito dinheiro e ele e a esposa eram meus carrascos.
  Eu nem entendia porque ele todo dia não comprava pastéis ou lanche para nós.
  Eu só via o dinheiro que entrava no caixa nem pensava no custo da mercadoria, impostos, o trabalho dele para conseguir as mercadorias ... os dias que o movimento era bem fraco e entrava pouco dinheiro em caixa.

  Anos depois quando ocupei um posto de chefia na fábrica de óculos percebi a enorme responsabilidade que era.
  O “babaca puxa saco” agora era eu.
  Não é à toa que muitos nem tentam ser chefes.

  A empresa era pequena, no seu auge teve cerca de 70 ou 80 funcionários, eu tinha que me envolver em todos os aspectos.
  Todas as reuniões importantes eu estava presente.

  Depois dessa fase, quando a empresa foi absorvida por outra, montei um negócio próprio.
  Fui patrão no sentido amplo do termo.

  Sei lá, se eu não tivesse passado por tudo isso talvez ainda estivesse naquela “fase adolescente” de desprezar a chefia e falar mal da empresa ... que mal ou bem me estava garantindo um emprego e salário no fim do mês, eu é que fui atrás do emprego.

  Então e aí?
  Eu fui monstro em demitir a funcionaria?
  O que você teria feito no meu lugar?
  Medite sobre isso.
  Depois continuamos.

  Por vezes consideramos alguma pessoa como sendo monstro porque não a conhecemos direito.
  Outras vezes consideramos alguma pessoa santa porque não a conhecemos direito.

  Essa sequência não vai focar em conhecer as pessoas, mas em conhecer as situações.

  Eu acho incrível quando as pessoas definem uma atitude como monstruosa, mas que naquela situação fariam a mesma coisa.

  Demitir alguém que quer permanecer no trabalho é emocionalmente horrível, mas em inúmeras situações racionalmente é preciso.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Todos emocionalmente se entristecem ao saber da doença de Claudia Rodrigues e Lucio Mauro, todos queríamos que eles fossem eternos, emocionalmente queremos procurar um culpado, alguém para responsabilizar...

  Deixe a razão ter a última palavra.

  Assim que nascemos uma certeza temos.
  Vamos morrer, por acidente ou doença.

  Prepare-se e entenda, há uma grande limitação do que você pode fazer e do que as pessoas podem fazer por você.

Uma empresa não pode mantê-lo em nome do tempo que você era produtivo.

As pessoas não podem deixar de viver a vida delas para viver a sua.

  Você acreditar que o mundo tem que girar em torno de você porque está doente é a emoção dando a última palavra.


  A sabedoria está há milhas, e milhas, e milhas da sua mente ... isso geralmente se traduz na intensificação da dor e do sofrimento, decepção e depressão.






Anterior          COMENTAR        Próximo 

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Mente sã em corpo são

    A educação física ministrada a minha filha se resume a “queimada” e “atividade livre”.
  Um dia a nossa “grande profissional” professora faz aquela brincadeira de um jogar a bola no outro.
  No outro dia ela deixa os alunos livres, cada um faz o exercício que quiser e se não fizer … tudo bem.



 O que eu esperava de um profissional de educação física?

  Que transmitisse a nossas crianças conhecimentos básicos sobre esportes e condicionamento físico.
  Alguma noção de nutrição seria bom.
  Mente sã em corpo são.

  Vou descrever por cima o que eu faria.
  Se eu tivesse poder, “a princípio” montaria o currículo de Educação Física sob a seguinte base.

  Já escrevi sobre a importância da competição para nossa natureza humana.
  Gostamos de jogos, nossas brincadeiras desde a infância são jogos.
  Isso não é exclusividade da nossa espécie.
  Como temos uma inteligência mais sofisticada nossos jogos/brincadeiras também o são, entretanto se você observar filhotes de outros mamíferos verá que eles brincam de lutar, correr, subir em arvores ... depende das características de cada espécie.

  Porque não transformar as aulas de educação física em jogos/brincadeiras?

  Em um mundo globalizado é interessante prepararmos nossas crianças para estar em sintonia com as outras nações.

  Quais os 10 esportes mais praticados no mundo e por consequência mais assistidos e que rola muito dinheiro?

  Futebol, Futebol Americano, Basquete, Golfe, Beisebol, Rugby, Vôlei, Tênis, Hóquei de Grama, Críquete.

  Que tal passar para nossas crianças as regras desses jogos e pratica-los.
  Quantos talentos poderíamos encontrar?

  Promover competição, muita competição.
  Entre classes, escolas, municípios, estados.

  Mas aqui a ideologia esquerdistas de nossas escolas detesta competição, todos somos iguais e não se fala mais nisso. 😩 

  Dizem que cabeça vazia é oficina do diabo.

  Você prefere seu filho se preparando fisicamente com outros amigos para enfrentar no basquete uma escola “rival” ou na esquina experimentando qual maconha é melhor?

  Hoje em dia temos os jogos eletrônicos, todos sabem que defendo a tecnologia, mas porque não diversificar?
  Não ligo de ver minha filha horas jogando no computador, considero um bom exercício para o cérebro, mas se ela tivesse um jogo de vôlei, disputa de natação, futebol para ir acredito que seria muito proveitoso para o corpo dela.

  Futebol de salão é um esporte barato de praticar.
  Porque não fazer times mistos, meninos e meninas?

  Nas escolas as equipes teriam que ter obrigatoriamente 3 meninos e 3 meninas, 5 em quadra e o sexto jogador(a) ficaria revezando.
  É, para tornar mais interessante damos uma acochambrada nas regras sem perder a essência da modalidade esportiva.
  O importante é as crianças sacudirem os esqueletos, fortalecerem os músculos, exercitar as veias e válvulas do corpo.

  Aqui em SP a maioria das escolas tem uma quadra poli esportiva.
  Vôlei e Basquete são esportes que cabem bem nessas quadras.
 
  No caso do basquete a acochambrada poderia ser uma regulagem fácil da altura das cestas.
  O motivo é obvio, se as crianças são baixas porque colocar a cesta naquela altura destinada a homens de quase 2 metros!

  No caso do vôlei além de abaixar a rede poderia ser “ponto corrido”, caiu no chão é ponto.
  Lembre-se que a quadra é só uma e a escola geralmente tem muitos alunos.
  A acochambrada é para economizar tempo, permitir um maior rodizio das equipes.

  Enfim, com criatividade e sem tirar as crianças de uma “inserção” poderíamos desde cedo ter uma tradição na pratica de esportes.
  Será que o jogo de “queimada” é ensinado na faculdade de educação física?
  Está em vias de ser aceito como modalidade olímpica?
  Há em algum lugar campeonatos de Queimada que atrai grande público e movimenta milhões?
  Entende o que quero dizer com inserção?
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
“Nosso Governo não investe em esporte.”

  Escuto e leio muito isso.
  Latinos esperam tudo de algum Governo. 😩

  Se eu fosse Prefeito toda escola teria pelo menos uma quadra poliesportiva de boa qualidade, isso é uma coisa que devemos esperar e cobrar do Governo ... “se” nós Zé Ruelas realmente reconhecemos a importância da pratica esportiva.

  Transformar cada escola em um centro de excelência no esporte custaria muito caro, consumiria muito dinheiro dos impostos.
  No entanto acho viável transformar as “praças de esportes” em centros esportivos mais complexos.
  As escolas do município usariam em esquema de rodizio.
  Os jovens “mais talentosos” encontrariam ali uma estrutura melhor para desenvolverem suas habilidades.

  Outra ação do Governo poderia ser premiar os campeonatos.
  Troféus e medalhas.
  Nos filmes americanos vemos muito isso e até onde sei acontece de fato.
  Os jovens participam das mais variadas modalidades esportivas e tem pequenos campeonatos para tudo.
  De Matemática e Ciências também ... mas esse seria outro texto.

 Entenda que o Governo é reflexo do povo que o elege.
 Se nós Zé Ruelas só valorizamos o esporte da boca para fora, porque é “politicamente correto” valorizar ... como os governantes que elegemos agiriam diferente!?

  Já disse que qualquer um pode se candidatar a cargos políticos, se você é tão bom quanto acha que é, não vai ser difícil conseguir votos.
 
  Uma última provocação para concluir essa sequência, vamos chacoalhar seu cérebro.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
Universiotários
 Nossa “elite pensante”, nossos “jovens mais promissores” ou são alienados ou defendem ideologias esquerdistas.
  Entenda “esquerdista” nesse texto como aquelas pessoas que defendem uma forte intervenção do Estado.

  “Tudo no Estado, nada contra o Estado, e nada fora do Estado.”

  Então faculdade tem que ser gratuita para todos, mesmo os que podem pagar.
  Transporte tem que ser gratuito.
  Casas de graça para todos.
  Salários de primeiro mundo já.

  O Estado é esse ser magico com capacidade financeira e administrativa para absolutamente tudo.
  Mais que isso, cabe ao Estado dizer o que o cidadão tem que fazer e criar “políticas públicas” para isso.

  Se o brasileiro não pratica esportes a culpa é do Estado que não o incentiva a fazer isso...

  Estudando na PUCC eu percebi algo “engraçado”.
  Eu estudava a noite e trabalhava de manhã,
  Claro que eu e todos os estudantes do noturno não tínhamos tempo disponível para atividades esportivas.
  Mas e os estudantes que podiam se dedicar só aos estudos?
  Porque os estudantes de outros períodos não montavam equipes esportivas.
  Você já ouviu falar no time de futebol feminino da PUC?
  Já ouviu falar no campeonato de futebol de salão entre Universidades?
  Nos Estados Unidos as Universidades e Escolas tem times a nível profissional.
  Os campeonatos Universitários são até canais de apostas, movimentam muito prestigio e dinheiro.
  Cada grande atleta americano que você conhece teve seu início em uma escola, se destacou em micro disputas regionais.

  Sei, sei você está pensando que nossos jovens não tem a mesma capacidade de organização.
  E aqui vem a parte “engraçada”.

  Para atividades esportivas nossos estudantes tem essa deficiência organizacional, mas para festas...

  Mesmo no período noturno não faltava tempo ou disposição para “baladas”.
 
  No mural da universidade não falta promoção para festas.
  Se o Estado não incentiva baladas, como os estudantes conseguem!?

  Festa da engenharia, festa da medicina, festa da odonto, semana do saco cheio, festa rave do dia das bruxas .... e por aí vai.

  Estudei na PUC e hoje trabalho na UNICAMP.
  Aqui o que não falta é festas e encontros até sem autorização da reitoria.

“Universitário de 21 anos morre após ser esfaqueado em festa na Unicamp.”
  Estudante de mecatrônica foi esfaqueado no campus de Barão Geraldo.”  [G1]

  Na Unicamp, com relação a atividades esportivas, é tal qual a PUC.
  Fora do pessoal que cursa Educação Física é difícil lembrar de alguma atividade de destaque.
  O que ne chama atenção é uma batucada que começa por volta das 17:30 e vai até nem sei que hora.
  Não, na Unicamp não tem escola de samba, não pense naquele tipo de batucada animada.
  O som que vem de lá é continuo com pouca variação, nunca me aproximei desconfio que seja alguma seita satânica ... 😄 

  Também não é ensaio para 7 de Setembro, tirando o período de férias o batuque dura o ano inteiro.
  O som produzido não tem nada a ver com desfiles militares.
  Aliás militares são detestados, nem polícia militar é bem vinda no campus.

   Mais uma vez fica claro que se cada brasileiro não fizer uma “auto analise” comportamental e “evoluir” ... não adianta esperar um Governo ou Líder Supremo que irá evoluir pela gente.

  Sua ação (boa ou má) é uma gota no oceano social, mas o oceano é feito de gotas.

  Essa lógica entra em sua mente?




   “Médico agredido com pedra em festa da USP morre em SP.”

  Eu não tenho a utopia de ver a hipocrisia ser eliminada, isso não aconteceu em nenhuma nação do mundo.
  Minha luta é para que diminua.
  Se você fala em fraternidade, pratique.
  Se você fala em justiça, pratique.
  Se você fala em honestidade, pratique.
  Se você acredita que esporte é importante...
  PRATIQUE.

  Nossos estudantes falam muitas coisa boas, mas praticam sexo irresponsável, consumo de drogas, sertanejo universitário, bailes funk ...





  [Por favor sem generalizações, se a carapuça não te serviu, nunca serviu para eu também.]




Anterior          COMENTAR        Próximo