sábado, 10 de dezembro de 2016

Mídia Isentona

“GOVERNO TEMER É PÉSSIMO EM COMUNICAÇÃO.”

“COMUNICAÇÃO DE TEMER É UM DESASTRE.”

“GOVERNO FALHA EM COMUNICAÇÃO ATÉ QUANDO NÃO HÁ MOTIVO.”

  [Essas são algumas manchetes de portais de notícias.]


 Quando FHC, Lula, Dilma falavam em rede nacional você tinha o hábito de ouvir?
 Você costuma ouvir no rádio a Hora do Brasil?

  Eu não.

  Atualmente meu maior canal de informação é a Internet, mas já foi jornais, revistas, TV aberta.
  Faz tempo que não entendo quando os Dinossauros da Mídia atribuem a falha de algum projeto do Governo a falta de comunicação.

   O projeto era bom, entretanto foi mal comunicado!?
  Mas se o projeto era bom porque a mídia não cuidou de divulga-lo!?

  Percebem como nós latinos nos colocamos totalmente nas mãos de algum Estado?
  Globo, Band, Record, SBT, Folha, Estadão … são empresas brasileiras com jornalistas brasileiros.
  Se um projeto é bom cabe a “imprensa” comunica-lo aos seus leitores.

  Porque essa dependência total de um comunicado do Presidente o qual poucas pessoas prestam atenção?

  Se alguns jornalistas veem falha no projeto apontem essas falhas.
  Acredito que todos nós queremos o bem da nação.
  Isso não pode ser colocado apenas na responsabilidade do Presidente e seus ministros.

   Aqui no Blog eu faço questão de analisar a informação e me posicionar.
  Apresento números, apresento a lógica da argumentação, faço sugestões.

  Seria interessante que aqui no Brasil a grande mídia se posicionasse mais contra ou a favor alguma coisa, evitasse essa tal “isenção” esse ficar encima do muro.

  Se a Folha é contra uma medida (PEC 241 por exemplo) exponha seus motivos, explique a seus leitores.
  Se o Estadão é a favor da PEC 241 exponha seus motivos explique a seus leitores.
  Se a medida é boa, mas tem seus pontos que o jornal considera negativo diga qual e porquê.

  Sua parte leitor, é analisar os fatos/argumentações e chegar a sua própria conclusão.

  O que devemos condenar no jornalismo é a mentira, a informação “sabidamente” falsa.
  Sim, porque o repórter pode ser ludibriado por alguém.
  Se o repórter publicou uma pesquisa que parecia idônea, mas depois descobrimos falha ou enganosa, devemos ficar indignados com os responsáveis pela pesquisa.

  Se alguém dá uma informação falsa é esse alguém que tem que ser questionado NÃO o repórter.
  Um travesti diz que saiu com um “famoso” e apresenta fotos.
  O repórter está divulgando uma informação a princípio verdadeira, nem importa se é relevante ou não.
  Depois a perícia descobre que a foto foi montada.
  É jornalisticamente ético o repórter fazer uma divulgação ainda maior sobre esse novo fato.
  Colocar o repórter no mesmo nível de quem deu a informação falsa ... não dá.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

  Reforma do ensino médio
  O que lemos na mídia?

 “ALUNOS OCUPAM 400 ESCOLAS EM PROTESTO CONTRA A REFORMA DO ENSINO MÉDIO”

 “BRASIL OCUPA AS ÚLTIMAS COLOCAÇÕES EM TESTES INTERNACIONAIS DE EDUCAÇÃO.”

 “ESPECIALISTAS DIZEM QUE É PRECISO VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES.”

  Se você ler as matérias abaixo desse tipo de manchete dificilmente encontrará algum posicionamento, é nossa mídia isentona.

  Você sabe se a “Globo” é a favor ou contra a reforma do ensino médio?

  A “Band” defende a obrigatoriedade da educação física no ensino médio ou é contra?

  O “SBT” acredita que educação artística tem que ser obrigatória no currículo?

  A “Record” reconhece a competência de nossos professores só falta pagarmos mais a eles?

  Quando falo dessas empresas obviamente falo de seus profissionais, sua linha editorial.

  Nos Estados Unidos a mídia é tão independente que tem liberdade para ser “partidária”, defender ou ser contra alguma proposta, atividade ou declaração.
  Pode até abertamente apoiar um candidato e ser contra outro, algo que aqui no Brasil é uma heresia jornalística.
  Nem piada pode fazer com um candidato em período de eleição.

  No Brasil o dogma politicamente correto da mídia é a “ISENÇÃO”.
  (Claro que detectamos manipulação sutil ou escancarada)

   Essa “isenção” é sinônimo de informação crua sem muita explicação.
  É se ater ao fato jornalístico sem demonstrar um posicionamento.

  Tem uma manchete:

  “GOVERNO QUER IDADE MÍNIMA DE 70 ANOS PARA APOSENTADORIA.”

  Lendo a matéria você descobre que alguém cogitou essa hipótese, mas não é um consenso no Governo.
  De qualquer forma o que fica na cabeça do cidadão é a manchete.
 
  Sim, existe programas de analises políticas e econômicas, mas são linguagens eruditas que alcançam a poucos.

  Sabemos que mesmo em países desenvolvidos boa parte do eleitorado não tem formação universitária.

  Estados Unidos 57% da população não conclui alguma faculdade.
  Brasil 89% não conclui alguma faculdade.
  China 95% não conclui alguma faculdade.

  É verdade que a China tem uma proporção ainda menor que a nossa. Mas ali o importante é que a fatia é tirada do total de 1,34 bilhão de pessoas.

 É recomendável que pelo menos 31% da população conclua o ensino superior.

  O excesso de formados NÃO é muito bom (segundo “minha” opinião) o país fica dependente de imigrantes para serviços mais braçais e/ou fica com uma população grande de “subempregados”, o cara se forma em engenharia e ganha a vida dirigindo um UBER...
  A moça se forma em advocacia e ganha a vida como vendedora de roupas...
 
  No Brasil a situação fica mais surreal devido a precaria qualidade de ensino mesmo em nossas universidades.
  Universitários apresentam desconhecimento de questões básicas históricas ou cientificas.
  As “deduções” chegam a ser risíveis. (ou “choráveis”)

  Uma “pérola” que escuto muito é:

  “Se o cidadão contribui para a Previdência por 30 anos, quando se aposenta tem direito a receber pelo menos por 30 anos, estão nos roubando!”

  Escuto gente de nível universitário falando isso com uma convicção impressionante.
  Não tem o mínimo de conhecimento da legislação trabalhista, não entende o detalhamento do seu próprio holerite.

  Vamos lá, mais uma vez...

  Se olhar para seu extrato de pagamento verá que são descontados para Previdência 10% do seu salário.
  Se você ganha 1000 reais, paga 100 reais a Previdência. [Simplificando só para facilitar a visualização, não escrevo para acadêmicos.]

  Se por 30 anos você pagou 100 reais mensais a Previdência que matemática é essa em que a Previdência pode te pagar 1000 reais mensais por 30 anos!?
  De onde sairá os 900 reais restantes!?
  Se você pagou 100 reais por mês tem direito a receber 100 reais por mês, essa é a matemática que o mundo civilizado conhece.

  Se você prometer morrer no máximo em 15 anos a Previdência pode te pagar 200 reais por mês ... 😄

  Imagine a Mídia explicando essas contas básicas a população.

  Outra coisa que dizem é que a Governo arrecada outro impostos, não precisa apenas da contribuição do trabalhador para pagar benefícios e aposentadorias.
  Tem o ICMS, IPTU, IPI, IR ...

  Por má fé ou ignorância não entendem que os gastos do Governo não são só com Previdência.
  Educação, Segurança, Infra Estrutura também precisam do dinheiro dos impostos.
  Você acha que as viaturas da polícia e corpo de bombeiros são movidas pelo poder do Espirito Santo de Deus?
  Você acredita que os professores são voluntários?
  E os profissionais da saúde e toda estrutura hospitalar, você acha que são obras do Acaso mantidas pela Natureza?
  Em média um dia de internação na UTI custa uns 3 mil reais, se você ou algum filho precisou desse serviço por 10 dias lá se foram 30 mil reais.

  No Brasil precisamos urgentemente que mais pessoas assumam suas responsabilidades individuais inclusive sobre a COMUNICAÇÃO.
  Se você entendeu EXPLIQUE.

  Esperar tudo de algum Governo é infantilidade política demais...

  "O governo não é uma razão, também não é eloquência, é força.
   Opera como o fogo; é um servente perigoso e um amo temível; em nenhum momento se deve permitir que mãos irresponsáveis o controlem."





Anterior          COMENTAR        Próximo
Postar um comentário