sábado, 28 de janeiro de 2017

Conhecimento e Imaginação

  Por que nossos QIs nunca estiveram tão altos, mas não estamos mais espertos?


  Para tentar desvendar esse enigma vou retornar a um pensamento proferido por Einstein, mais que um grande cientista um grande FILÓSOFO.
[Essa já é a “chave mestra” desse texto.]

  “A imaginação é mais importante que o conhecimento.
   O conhecimento é limitado.”
   [Einstein]

  Faz algum tempo escrevi um texto dizendo porque não concordava com esse pensamento de Einstein, mas foi em outro contexto:

 “Nessa questão eu discordo de Einstein.
  Reconheço a importância da imaginação, mas dizer que ela é mais importante que os fatos...não consigo defender essa argumentação.
  Acredito que Einstein se referiu a “extrapolarmos as possibilidades”.

  Não confunda com contradição.
  Vamos para outro plano de pensamento, vamos “extrapolar as possibilidades”.
  Talvez quando Einstein formulou esse pensamento foi na perspectiva que apresentarei hoje, mas a frase se popularizou de uma maneira romântica.
  O pensamento romântico que ficou popular sou contra.

  Inclusive em países como o Brasil nossas escolas passaram a estimular muito a imaginação do aluno em detrimento de lhe passar conhecimentos.

  Quando a imaginação passa a ser de extrema importância?

  “DEPOIS” QUE VOCÊ ADQUIRIU MUITO CONHECIMENTO sobre determinado assunto.
  Adquirir conhecimento [Se inteirar dos fatos] deve vir antes da imaginação.

  O que Einstein quis nos passar ao dizer que o conhecimento tem limite?

  Não tenho como saber exatamente o que Einstein pensava ou deixava de pensar.

  Vou externar o que “eu” penso.

  “O conhecimento só pode te trazer até hoje, o presente, se você quiser inovar precisa da imaginação para ver o futuro.”
[William Robson]
   
  O conhecimento é ILIMITADO ou você sabe de alguém que tem conhecimento pleno sobre tudo?
  A cada dia acontecem novas descobertas ampliando ainda mais o conhecimento humano.
  Mais uma contradição?
  Humm...
  Vamos dizer que a “FONTE de determinado conhecimento” tem limite.
  Você só pode extrair de um HD o que está nele.
  Se ele tem 10 gigas de informações, esse é o limite desse arquivo.

  Vejam essas ótimas provocações:
_________________________________________________________________
1 - “E se o aluno quiser saber alguma informação que o pobre professor não conhece, ou na qual não consegue pensar?”
[Nihil no G+]
_________________________________________________________________
  ISSO É EXCELENTE.
  Ninguém tem a obrigação de saber tudo inclusive o professor.
  Um aluno que não se contenta com a resposta do professor irá pesquisar em livros, debates e hoje em dia Internet.

  O professor de Einstein não desenvolveu a teoria da relatividade.

  O professor de Edison não desenvolveu a lâmpada elétrica.


  Percebem?
  O conhecimento que os professores de Einstein tinham se limitavam ao que já havia sido descoberto.
  Como a teoria da relatividade não havia sido elaborada Einstein evidentemente não a aprenderia com seus professores.
  Mas por outro lado se Einstein não adquirisse todos os conhecimentos passado pelos professores não teria base para desenvolver algo novo.
­­­­­­­­­­­­­­­­____________________________________________________________________ 
2 - “Quando o aluno manifesta um interesse maior por uma matéria, indo além da aula, é costumeiro a professora estudar junto, se ela não sabe.
  Isso, claro, quando o interessado se comunica a respeito.”
[Nihil no G+]
_____________________________________________________________________
  Como eu disse TEMOS QUE MUDAR A MENTALIDADE.

  Não tenho como defender que professores sejam gênios capazes de responder a toda e qualquer dúvida.
 Quem consegue defender esse argumento ... defenda!

  Meu filósofo mais querido já dizia.

             “SÓ SEI QUE NADA SEI”

  Não sei o que é pior, nossa sociedade acreditar que um professor tem que saber tudo.
  Ou o professor acreditar que ele é capaz disso...

  Com minhas filhas sempre fui muito honesto.
  Eu e minha esposa não sabemos tudo e não podemos tudo.
  Muitos interesses de minhas filhas elas terão que pesquisar por elas mesmas e serem o que puderem ser.
  Nunca passei para minhas filhas que professores são muito melhores (ou muito piores) que eu e minha esposa.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  O conhecimento não tem limite, mas sua fonte tem.

  Se sua fonte para determinado assunto é seu professor, o máximo que conseguirá saber é o que seu professor sabe.
  Você pode consultar outras fontes, outro professor, livros, sites de busca ... mas seu conhecimento será limitado ao que já se sabe.
  Para ultrapassar esse limite das fontes você terá que produzir conhecimento ... resumindo:
 
  De posse do conhecimento se você quiser inovar precisará da imaginação/criatividade.

  Feitas essas considerações vamos voltar ao enigma proposto.

  “Por que nossos QIs nunca estiveram tão altos, mas não estamos mais espertos?”
[BBC]

  Eu não gosto da linha de raciocínio das matérias da BBC, aliás nunca pensei que ficaria tão desintonizado da “imprensa” como estou atualmente.
  Mas eu gosto de frequentar lugares onde as pessoas pensam diferente de mim, o choque de opiniões sempre foi muito útil para eu melhorar minha filosofia, meditar sobre outros pontos de vista.

  É muito subjetivo afirmar que “não estamos mais espertos”.

Esperto Sagaz, vivo, hábil; que tem facilidade para perceber e compreender as coisas; que se comporta ágil e eficientemente.

  Qual o critério usado para medir que éramos mais espertos há mil ou quinhentos anos atrás!?

  O aumento do QI é mais ou menos obvio.
  Com a universalização do ensino (pelo menos o básico) mais crianças foram expostas desde de cedo a algum sistema educacional.
  Era de se esperar que o cérebro humano submetido a muito mais informações se adaptasse a essa nova condição melhorando suas conexões neurais.

  É a mesma coisa de uma criança começar a fazer balé com 5 anos e outra com 15 anos.
  É evidente que tem muitas variáveis genéticas.
  A criança que começou com 15 anos pode ter um grande talento e se destacar, mas no geral a que começou com 5 anos leva uma grande vantagem.

  Mesmo que a criança que começou aos 5 anos não tenha uma boa habilidade genética para dança, com tanto treino, ela ficará uma dançarina média, sem o treino até sua coordenação motora ficaria comprometida.

  Quanto a “esperteza” em função do aumento do QI acredito que ela também aumentou o problema é como medir isso.
  Temos menos guerra, menos fome, menos escravidão, vivemos mais e com melhor saúde ... minha aposta é que estamos mais espertos.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
  Fiz um exercício mental, desenvolvi um produto para apresentar nesse texto como demonstração de “esperteza.”

  Para eu esse produto não tem nenhuma utilidade porque não sou dono de seguradora nem tenho capital para ser, mas é um produto que eu queria ter por isso o IMAGINEI.

  Minha filha não tem condições de criar tal produto porque ela não tem conhecimento.
  Ela não dirige, nunca comprou um carro, nunca pagou seguro.
  Mesmo que minha filha tenha um QI altíssimo sem conhecimento é difícil aproveita-lo.
  Mesmo que ela tivesse um QI altíssimo e muito conhecimento sem imaginação não desenvolveria nada novo.

  O produto que vou lhes apresentar só é possível porque eu adquiri conhecimento sobre seguros no limite do que o mercado me oferece.
  Se esse tipo de seguro existe ... aqui em SP eu nunca encontrei.

  Eu imagino um seguro mais barato pelo menos 50% abaixo do que é praticado.
  Para isso eu teria que abrir mão de certas coberturas que no final das contas um motorista ajuizado como eu raramente utiliza.
  Estou disposto a correr o risco da cobertura mais limitada e talvez o leitor também.

  Quando você não paga seguro o maior medo é seu carro ser roubado e voltar a depender de ônibus.
  [Não gostamos de pensar em graves acidentes.]

  Com muita disciplina financeira você começou com uma lata véia, passou para um carro usado, mudou para um seminovo, evoluiu para um zero e agora tem um top de linha.
  Com um carro de 90 mil você se sente obrigado a pagar seguro é a poupança de uma vida para a maioria de nós.
  Já pensou ser roubado e voltar a andar a pé!
  Segurar um carro de 90 mil e caro.
  Mas e se eu fizesse uma apólice de 45 mil?
  Em caso de perda total ou roubo eu receberia da seguradora um outro modelo de carro bem mais barato.
  Pelo menos eu não voltaria a andar a pé.
  Ficaria sem meu carrão de 90 mil, mas ainda restaria um bom carro de 45 mil caso ocorresse o pior.
  Minha apólice ficaria mais barata porque ela cobriria um carro de valor bem menor.

  Eu abriria mão do socorro mecânico.
  A seguradora se limitaria a ter um serviço de guincho 24 horas que me levaria para a oficina da minha escolha ou a mais próxima.
  Peças e consertos ficariam por minha conta.
  Carros novos tem pelo menos 1 ano de garantia.
  Como sou cuidadoso e atento na manutenção os veículos raramente quebram.

  E em caso de acidente de trânsito?
  Se der conserto o guincho me leva para oficina.
  Se for perda total ... fazer o que 😩 fico com um carro na metade do valor que eu tinha.

  E danos a terceiros?
  Sou um motorista ajuizado, até hoje nunca atropelei ninguém, nem bati o carro.
  Se eu atropelar alguém ou for o causador de uma batida vai haver uma negociação, vou pagar o que for possível pagar.
 
  Caso aconteça algo mais grave, que eu não tenha condições imediatas para sanar, faço um empréstimo bancário.
   Eu dirijo há anos já paguei uma fortuna de seguro e nunca utilizei esse tipo de serviço.

  Veja bem, no caso do empréstimo pessoal, vou gastar dinheiro com algo que aconteceu e não que talvez possa acontecer.

  Os produtos que as Seguradoras me oferecem não são do meu agrado.

  Pago caro por um seguro que cobre coisas que raramente uso e outras que nunca usei.
 
 Então eis aí um tipo de seguro que pode ser barato e atender muito bem um nicho de motoristas ajuizados.

  Por ser barato mais pessoas o comprariam.
  Devido a cobertura ser bem limitada diminuiria sensivelmente o risco das operadoras.

A) As Seguradoras aumentariam a quantidade de clientes e reduziriam os riscos.

B) Os motoristas ajuizados pagariam menos e os motoristas desatentos teriam um ótimo incentivo para serem mais responsáveis, o preço do seguro.

  Me parece um bom produto, uma inovação.

  “O conhecimento só me leva ao que já existe, a imaginação me leva a inovação.”
[William Robson]

To be continued...


 Imaginação sem conhecimento ... 😄



Anterior          COMENTAR        Próximo
Postar um comentário